ANO: 26 | Nº: 6578
31/03/2020 Fogo cruzado

“Bagé precisa de ação imediata por parte do governo do Estado”, enfatiza Divaldo

Foto: Reprodução JM

Prefeito elevou o tom da cobrança após confirmação de seis casos de Covid-19 em 24 horas
Prefeito elevou o tom da cobrança após confirmação de seis casos de Covid-19 em 24 horas

Após a confirmação de seis novos casos de coronavírus (Covid-19) em 24 horas, o prefeito de Bagé, Divaldo Lara, do PTB, elevou o tom de cobrança do governo do Estado. “Não tem como tratar os desiguais de forma igual. Se o governo do Estado não mudar esta estratégia, imediatamente, teremos consequências ainda piores”, disse, em entrevista à rádio Gaúcha.
Divaldo tornou a cobrar os repasses de recursos para saúde, atrasados por parte do governo do Estado. Na semana passada, o petebista salientou que a dívida totaliza R$ 5 milhões. “Bagé precisa de ação imediata por parte do governo do Estado. Enquanto município, atingimos o teto das nossas ações. Precisamos que o Estado entre com seus recursos e equipamentos, reforçando as medidas que estão sendo adotadas”, salientou.
Em coletiva de imprensa, Divaldo afirmou que Bagé pode estabelecer uma linha de contágio regional. Esta condição, de acordo com o petebista, justificaria o pedido de atenção especial ao governador. O prefeito adiantou, ainda, que reforçaria os argumentos em videoconferência com Eduardo Leite, do PSDB, agendada para às 20h.
Além de solicitar kits de testes rápidos, vacinas, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e macacões químicos para utilização na linha de frente, na saúde, Divaldo solicitou, ao governador, reforço no Presídio Regional de Bagé (PRB), pedindo para aumentar o efeito da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...