ANO: 26 | Nº: 6590
08/04/2020 Fogo cruzado

Governo do RS confirma plano de locar contêineres para armazenar corpos de vítimas do coronavírus

Foto: Reprodução JM

Prefeito de Bagé, Divaldo Lara havia anunciado, terça-feira, que havia negado o recebimento de equipamento oferecido pelo Estado
Prefeito de Bagé, Divaldo Lara havia anunciado, terça-feira, que havia negado o recebimento de equipamento oferecido pelo Estado
Após o prefeito de Bagé, Divaldo Lara, ter anunciado, na terça-feira, dia 7, durante uma coletiva de imprensa, que havia negado uma oferta do Estado para receber um contêiner freezer para armazenar corpos de possíveis vítimas de covid-19, o governo do Rio Grande do Sul confirmou, na noite desta quarta-feira, dia 8, ao Jornal MINUANO, que tais equipamentos integram o plano de contingência para o enfrentamento da pandemia no RS. Em nota enviada após questionamentos da reportagem, o governo gaúcho frisa, no entanto, que tal possibilidade ainda depende de contratação e distribuição porque, neste momento, tais estruturas ainda não se fazem necessárias.
"O governo do Estado possui um plano de contingência para o enfrentamento da pandemia no Rio Grande do Sul, nas mais diversas áreas da gestão pública. Muitas das medidas previstas estão planejadas, mas ainda não entraram na fase de execução. A locação de contêineres especialmente preparados para o armazenamento temporário de corpos é uma entre inúmeras medidas. Os equipamentos estão previstos, mas não foram contratados e sequer distribuídos, porque o Estado, felizmente, não entrou em uma fase em que eles sejam necessários", menciona o trecho inicial da nota.
A resposta, vale lembrar, difere da emitida, na terça-feira, pela Secretaria de Saúde do RS, que havia mencionado que tal procedimento não existiria. "É importante ressaltar que se trata de uma medida de precaução, uma vez que é dever do Estado estar preparado para todos os possíveis cenários de evolução da pandemia no Rio Grande do Sul", completa a resposta do Governo do RS, que acrescenta: "Isso, de nenhuma forma, elimina nem substitui todas as demais medidas preventivas, como aquisição de EPIs, tanto com recursos próprios quanto por destinação do governo federal e de doações da iniciativa privada; a instalação de novos leitos de UTI em diversas cidades do Rio Grande do Sul e o repasse de valores para aplicação nos hospitais e serviços municipais de saúde".
Na manifestação de terça-feira, Divaldo havia criticado a possibilidade da cidade receber tal contêiner porque o entendimento dele era de que o foco, no atual momento, deveria ser exatamente outro. "Nós vamos lutar pelas vidas até onde for possível", mencionou ele, na ocasião. "Como prefeito da cidade de Bagé, o que nós queremos que venha do Estado do Rio Grande do Sul é decisão concreta em relação a vacinas, apoio para a compra de equipamentos para a segurança dos trabalhadores, para a aquisição de respiradores, de mais leitos, para dar mais estrutura e melhores condições de forma a preservar vidas", cobrou.

Aporte para combate à pandemia
Na informação repassada ao Jornal MINUANO, o governo gaúcho também menciona materiais destinados para a Rainha da Fronteira. Na terça-feira, o prefeito havia cobrado mais ação do Estado, exemplificando que o Município, que atua no combate à pandemia "na ponta", respondendo pela Atenção Básica e, além disso, por organizar outras estruturas, como a montagem de um Hospital de Campanha com 50 novos leitos, só havia recebido "23 cestas básicas, 50 litros de álcool gel e 60 máscaras".
Em contraponto, a nota do governo do RS diz que "Bagé, assim como todos os demais municípios gaúchos, está recebendo apoio do Estado com insumos e EPIs na medida das possibilidades impostas pelo contexto da pandemia. Já foram entregues ao município de Bagé 12 mil máscaras e 4 mil luvas, considerando como parâmetros técnicos para destinação os números de equipes de saúde e de leitos. Por parte da Defesa Civil, já foram destinadas cerca de meia tonelada de alimentos à cidade". A divulgação ainda frisa que, "em termos financeiros, o Estado já repassou a Bagé R$ 365 mil de recurso destinado ao RS pelo governo federal e que, por decisão do governo estadual, foi dividido entre todos os municípios gaúchos. Também já foram pagos a Bagé, na última semana, R$ 362 mil dos incentivos ao Samu e à UPA e hoje, estão sendo pagos, R$ 311 mil em incentivos com recursos do Tesouro do Estado".
Por fim, a nota oficial cita a destinação de 50 litros de álcool em gel, adquiridos pelo Departamento de Logística e Patrimônio da Brigada Militar, e 270 escudos faciais de acrílico para prevenção contra o coronavírus, doados por empresas da Região Serra e aponta que "também estão previstos para o município quatro novos leitos de terapia intensiva com respiradores, bancados totalmente com recursos do Estado, que só não foram instalados ainda em razão de dificuldades técnicas, em especial exigências de alimentação de energia elétrica, no espaço destinado. O Estado está trabalhando para solucionar a questão e a expectativa é de que os novos leitos estejam instalados até segunda-feira".



Confira a nota, na íntegra:
O governo do Estado possui um plano de contingência para o enfrentamento da pandemia  no Rio Grande do Sul, nas mais diversas áreas da gestão pública. Muitas das medidas previstas estão planejadas, mas ainda não entraram na fase de execução.

A locação de contêineres especialmente preparados para o armazenamento temporário de corpos é uma entre inúmeras medidas. Os equipamentos estão previstos, mas não foram contratados e sequer distribuídos, porque o Estado, felizmente, não entrou em uma fase em que eles sejam necessários.

É importante ressaltar que se trata de uma medida de precaução, uma vez que é dever do Estado estar preparado para todos os possíveis cenários de evolução da pandemia no Rio Grande do Sul.

Isso, de nenhuma forma, elimina nem substitui todas as demais medidas preventivas, como aquisição de EPIs, tanto com recursos próprios quanto por destinação do governo federal e de doações da iniciativa privada; a instalação de novos leitos de UTI em diversas cidades do Rio Grande do Sul e o repasse de valores para aplicação nos hospitais e serviços municipais de saúde.

Bagé, assim como todos os demais municípios gaúchos, está recebendo apoio do Estado com insumos e EPIs na medida das possibilidades impostas pelo contexto da pandemia. Já foram entregues ao município de Bagé 12 mil máscaras e 4 mil luvas, considerando como parâmetros técnicos para destinação os números de equipes de saúde e de leitos. Por parte da Defesa Civil, já foram destinadas cerca de meia tonelada de alimentos à cidade.

Em termos financeiros, o Estado já repassou a Bagé R$ 365 mil de recurso destinado ao RS pelo governo federal e que, por decisão do governo estadual, foi dividido entre todos os municípios gaúchos. Também já foram pagos a Bagé, na última semana, R$ 362 mil dos incentivos ao Samu e à UPA e hoje, estão sendo pagos, R$ 311 mil em incentivos com recursos do Tesouro do Estado.

Na última segunda-feira, foram destinados a Bagé 50 litros de álcool em gel, adquiridos pelo Departamento de Logística e Patrimônio da Brigada Militar, e 270 escudos faciais de acrílico para prevenção contra o coronavírus, doados por empresas da Região Serra.

Também estão previstos para o município quatro novos leitos de terapia intensiva com respiradores, bancados totalmente com recursos do Estado, que só não foram instalados ainda em razão de dificuldades técnicas, em especial exigências de alimentação de energia elétrica, no espaço destinado. O Estado está trabalhando para solucionar a questão e a expectativa é de que os novos leitos estejam instalados até segunda-feira.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...