ANO: 26 | Nº: 6527

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
11/04/2020 José Artur Maruri (Opinião)

A esperança por melhores dias

Há alguns dias, no espaço que nos é concedido, colocamos que já estamos vivendo os dias preditos em lições dos Espíritos superiores, os dias de renovação, a nova era.
No entanto, a dita nova era causa algum temor àqueles que não buscam vivenciar as lições imorredouras e do Evangelho de Jesus.
Nesse sentido, vale a leitura e reflexão de trecho de uma página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco em sessão mediúnica realizada em 02 de fevereiro do ano passado no Centro Espírita Caminho da Redenção, Salvador, Bahia, ditada pelo Espírito Amélia Rodrigues e publicada na obra O Evangelho Redivivo – Livro I, editada pela Federação Espírita Brasileira:
"Em uma oportunidade especial, após uma injustificável discussão que terminara em agressão física, muito estremunhado, Simão buscou o Amigo (Jesus) e indagou-lhe sem preâmbulos:
- Como proceder, Senhor, com os teus inimigos que se nos tornam adversários espontâneos, agressivos e opositores desalmados? Em Cafarnaum, onde moramos, conhecemos quase todos os residentes que nos respeitavam, e agora, açulados pelos adversários cruéis, olham-nos com desprezo e, não poucas vezes, negam-se a adquirir os nossos produtos?
Com a serenidade que lhe era peculiar, o Amigo respondeu:
- Simão, até aqui o mundo cultivava os comportamentos que denegriam os pobres, as viúvas, os órfãos que ainda são taxados como prejudiciais à comunidade, em face do orgulho doentio que domina em toda parte. Agora estamos no limiar de uma Nova Era, em que o Amor de Nosso Pai alberga todas as criaturas, ajudando-as a desfrutar de paz e de esperança de melhores dias. Não acostumados às novas diretrizes da misericórdia e da compaixão, os exploradores das massas infelizes desejam estancar o rio da solidariedade que Ele direcionou nestes dias de renovação. (...) Deveremos responder-lhes com o tratamento da compaixão que nos merecem. Eles ignoram as enfermidades que os consomem e os envilecem. O perdão de nossa parte é a força que nasce no cerne do amor que devemos ter com aqueles que nos maldizem e perseguem, porque são profundamente infelizes. Que faz a delicada flor quando pisoteada, senão perfumar a pata que a esmaga?
- (...) O Evangelho tem por missão transformar pântanos morais em pomares de bênçãos, corações empedernidos em sentimentos de ternura e de bondade".
Allan Kardec vai esclarecer na obra "O Evangelho Segundo o Espiritismo" que existem diferentes categorias de mundos habitados. Que nos mundos inferiores, tal qual era a Terra, "a existência é toda material, reinam soberanas as paixões, sendo quase nula a vida moral". À medida que estamos avançando aos mundos intermediários, vemos "uma mistura entre o bem e o mal, predominando um ou outro, segundo o grau de adiantamento da maioria dos que os habitam".
Diante disso, como menciona Divaldo P. Franco em suas palestras e entrevistas, ainda temos uma madrugada escura e longa para atravessar até chegar o momento de vermos raiar as luzes do amanhecer para uma nova era.
A era de regeneração que, no dizer de Allan Kardec, "é o local onde as almas que ainda tem o que expiar haurem novas forças, repousando das fadigas da luta".
Santo Agostinho, no mesmo "Evangelho Segundo o Espiritismo" vai mencionar que nos mundos regeneradores "o homem ainda é falível e o espírito do mal não há perdido completamente o seu império". Que "não avançar é recuar, e, se o homem não se houver firmado bastante na sendo do bem, pode recair nos mundos de expiação, onde, então, novas e mais terríveis provas o aguardam".
Enfim, fiquemos com as lições de Santo Agostinho e reflitamos nesse período tão duro para a humanidade, mas, ao mesmo tempo, tão consolador. Que Jesus, o nosso Mestre maior, o governador da Terra, permaneça conosco.
_ "(...) este mundo esteve material e moralmente num estado inferior ao em que hoje se acha e se alçará sob esse duplo aspecto a grau mais elevado. Ele há chegado a um dos seus períodos de transformação, em que, de orbe expiatório, mudar-se-á em planeta de regeneração, onde os homens serão ditosos, porque nele imperará a Lei de Deus". Santo Agostinho. (Paris, 1862)
(Referências: KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o espiritismo, Cap. 3. FEB Editora. O Evangelho Redivivo – Livro I. Testemunhos à fé. Mensagem ditada pelo Espírito Amélia Rodrigue e psicografada por Divaldo P. Franco. FEB Editora)

José Artur M. Maruri dos Santos
Colaborador da S. Espírita León Denis e União Espírita Bajeense
josearturmaruri@hotmail.com

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...