ANO: 26 | Nº: 6587
14/04/2020 Opinião

Pelo alimento em cada mesa

Foto: Reprodução JM

por Francisco Turra
Presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e ex-ministro da Agricultura

Há um setor, muitas vezes pouco visível a parte da população, sem o qual a humanidade simplesmente não sobreviveria: o da produção de alimentos. Homens e mulheres do país inteiro estão, nesse exato momento, trabalhando no campo para levar comida de qualidade a milhões de brasileiros. São profissionais que, cientes da importância de seus papéis, atuam pelo bem da maioria. Pelo bem de todos.

Tão importante quanto conter o avanço do coronavírus, oferecer tratamento adequado aos doentes e fornecer medicamentos é garantir que os alimentos cheguem às casas das pessoas. Do caminhoneiro ao trabalhador do frigorífico, do carregador ao caixa de supermercado, todos cumprem um papel verdadeiramente patriótico. É por meio deles – e dos agricultores, dos açougueiros, dos padeiros e de tantos outros profissionais – que manteremos a oferta de mantimentos estável.

Esses profissionais são essenciais. Mas, seus esforços não podem estar sozinhos. É por isso que, a partir de uma iniciativa da ABPA, estão sendo adotadas uma série de medidas para manter ativa a produção de carnes de frango e suína e de ovos. E não só: para também de preservar a saúde de todos os colaboradores envolvidos nessa cadeia, que contribui com R$ 100 bilhões no PIB do país.

Empresas associadas intensificaram as orientações sanitárias e de higiene, suspendendo visitas às unidades. Da mesma forma, a associação apoiou as medidas do Ministério da Agricultura e solicitou aos governos estaduais a manutenção das vias de escoamento e a entrada de insumos nas companhias. Tudo isso, claro, para garantir que as pessoas encontrem, em supermercados, açougues, feiras ou nas compras online, produtos de qualidade e em quantidade.

Nessa luta global sem precedentes, mais do que nunca agora é a hora e a vez do Brasil. A luta do produtor é pelo país e pelo mundo – e pelo alimento na mesa de todas as pessoas. A crise é grave, mas sairemos fortalecidos e cada vez mais cientes do papel fundamental do nosso agro.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...