ANO: 26 | Nº: 6543
15/04/2020 Esportes

A repercussão local da morte precoce de Tiago Cortes, zagueiro do Guarany

Foto: Arquivo pessoal

Atleta atuou no empate contra o Inter de Santa Maria
Atleta atuou no empate contra o Inter de Santa Maria

O choque foi grande no futebol bajeense na noite de segunda-feira. Por volta das 19h, o Guarany comunicou o falecimento do zagueiro Tiago Cortes, de 22 anos, que integrava o elenco desta temporada. A notícia causou uma comoção muito grande, com jogadores, treinadores e dirigentes. Se avaliar o depoimento de todos, o carinho pelo atleta era unânime. Quem frequentava o vestiário aponta que se tratava de um companheiro dedicado e que possuía a simpatia de todos. E o fato de ser uma morte tão precoce, naturalmente, impressiona a todos, ainda mais da forma como aconteceu - um mal súbito.
Em virtude do acontecimento, o Guarany decretou luto oficial de três dias. Tiago Cortes esteve em campo, com a camisa alvirrubra, por 90 minutos, durante o empate por 2 a 2, com o Inter de Santa Maria, dia 11 de março, no estádio Antônio Magalhães Rossell, pela terceira rodada da Divisão de Acesso. Fora o Guarany, ele também atuou, profissionalmente, por Esportivo e Linense (São Paulo).

Jogador estava na fisioterapia

Vice-presidente do clube, Jorge Kaé relatou que Cortes estava em sua cidade, Florianópolis (Santa Catarina). “Por volta das 9h30min (na segunda-feira), falei com ele, por telefone, e aparentava estar bem tranquilo. Pediu para fazer fisioterapia e se o clube tinha como custear. Eu disse que sim. À tarde, no meio da fisioterapia, ele teve uma convulsão e, rapidamente, veio a falecer. Está todo mundo e em choque com a notícia. Era um grande amigo que tínhamos”, relata.
Diretor de futebol, Thiago Segredo mantinha contato constante por Cortes. Até porque, ele que foi responsável pela contratação de Cortes. Na segunda-feira, o dirigente também tinha conversado com o atleta, que se mostrava esperançoso de que, com as sessões de fisioterapia, se reapresentaria em boas condições para a Divisão de Acesso, programada para recomeçar em agosto. “Ele subiu com o Esportivo no ano passado. Depois, foi para o Linense e veio para cá. Tinha um futuro enorme, baita potencial. Era um menino do bem, sem maldade nenhuma. Frequentava a igreja, era trabalhador. Falei com ele de manhã. Ele ainda me disse que ia se tratar para voltar com tudo para buscar o acesso. Foi algo totalmente inesperado”, relata.

“Vamos levar em consideração o que ele se dedicou”, destaca Rodrigo Bandeira

Assim como todo mundo, o técnico do Guarany, Rodrigo Bandeira, também foi pego de surpresa com a morte de Tiago Cortes. “Um absurdo. Era um guri novo, com muito potencial. Trabalhador, gente boa, muito tranquilo de lidar. Foi algo muito incômodo, porque já estamos passando por toda essa situação da pandemia e, de repente, surge uma notícia de que um atleta de futebol, novo como ele, tem um mal súbito e acaba falecendo. Mas além de ser um colega de trabalho, nos colocamos no lugar da família, do pai ou uma mãe enterrar um filho tão jovem. Sabemos que é uma dor que os pais não superarão, mas esperamos que fiquem bem”, frisa.
Sobre o legado deixado pelo zagueiro, Bandeira ressalta que sua história sirva como exemplo para que o grupo trate com seriedade e dedicação a competição. “Ele tinha uma relação muito boa com todo mundo. Aliás, eu já tinha boas informações sobre ele, antes de vir para Bagé. Esperamos que nos sirva de ‘combustível’ para nos motivarmos, até porque, era um atleta que participava de todo o processo. Então, devemos levar em consideração o quanto ele se dedicou enquanto esteve conosco”, desabafa.

Jogadores e comissão técnica destacam sentimento pelo atleta

Foi notório o abalo no vestiário alvirrubro. Mesmo estando juntos a partir de janeiro, foi o tempo suficiente para que grandes vínculos fossem criados com o atleta. “Para falar do Tiago Cortes, teríamos que ficar horas conversando. Um cara fora do comum, trabalhador, profissional de alto gabarito. Sempre com sonhos, planejando seus ideais. Nós vemos tanto ‘migué’ no futebol, e o dele era um ‘migué’ reverso. Tinha que até segurá-lo para não trabalhar demais. Até agora, não consigo acreditar, mas a vida é um sopro. Às vezes, damos muito valor para outras coisas e deixamos de dar valor para as atitudes simples das pessoas. O que nos resta, agora, é orar e pedir a Deus para que o receba de braços abertos. E ele lá cima, que nos proteja, assim como fazia dentro de campo”, manifesta o preparador Fabrício Brum.
Companheiro de dupla de zaga, Diego Rocha destaca que, mesmo com pouco tempo, fortes relações foram criadas. Até porque, no ambiente de futebol, muitos atletas convivem juntos, afastados de suas famílias. “A única certeza que todos temos é a morte, mas quando se trata de forma que aconteceu nos pega de surpresa. Um cara do bem, exemplar para todos. Ele ganhou mais ainda nosso respeito pelo ser humano que era, uma pessoa correta. Mas tenho certeza que nesse momento ele está num lugar maravilhoso. Que Deus dê muita força para a família dele. Só quem já passou por isso sabe da enorme dor que é. Foi uma honra ter jogado ao lado dessa pessoa”, declara.
Lateral esquerdo e capitão, Jaime também enfatiza a amizade que tinha sido criada com Cortes. “Ele era cristão, até me levou para a igreja dele, algumas vezes. Um cara do bem mesmo, que fazia as coisas corretas. Como atleta, era um guri dedicado nos treinos. Eu tinha certeza que, mais para frente, iria jogar em times maiores. Uma vez, no quarto, ele me falou que temia muito a Deus e que sempre seria fiel a ele. Ontem (segunda-feira), me lembrei disso. Com certeza, ele está num bom lugar”, completa.
Meia e camisa 10 alvirrubro, Fernandinho também se manifestou sobre a morte precoce de Tiago Cortes. “Era um grande ser humano, de uma serenidade e tranquilidade para se apreciar. Era mais um guerreiro na luta diária, atrás do seu sonho. Buscava Deus toda semana. Talvez ele tenha encontrado o que procurava. Realmente, não dá para entender. Meus sentimentos à família. Trata-se de uma perda irreparável para nós também, pois perdemos um irmão e baita jogador, de extrema classe”, conclui.

Manifestações nas redes sociais

O primeiro comunicado da morte de Tiago Cortes foi feito pelo Guarany, em suas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram). Em seguida, surgiram outras manifestações. Em sua página, a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) publicou uma nota de pesar. “A Federação Gaúcha de Futebol manifesta profundo pesar pelo falecimento do atleta Tiago Cortes, ocorrido nesta segunda-feira (13), em Florianópolis (SC). O jogador tinha 22 anos e integrava o grupo do Guarany Futebol Clube que está disputando a Divisão de Acesso 2020. (...) Diante da perda irreparável, a FGF presta condolências a familiares e amigos”.
O Bagé foi outra representação que se manifestou publicamente. “O Grêmio Esportivo Bagé manifesta profundo pesar pelo falecimento do atleta Tiago Cortes, ocorrido nesta segunda-feira (13), em Florianópolis (SC). O jogador tinha 22 anos e integrava o grupo do nosso coirmão Guarany Futebol Clube. Diante da perda irreparável, o clube presta condolências a familiares e amigos”.
A lista também contou com manifestação do Esportivo, seu antigo clube. “O Clube Esportivo Bento Gonçalves expressa seu pesar com o falecimento de Tiago Cortes, atleta que atuou pelo alviazul durante a disputa da Divisão de Acesso 2019, em oito partidas – na campanha do vice-campeonato que recolocou o clube na elite do futebol gaúcho. O jovem zagueiro faleceu aos 22 anos de idade na tarde de segunda-feira, dia 13, em Florianópolis-SC, sua cidade natal. Nesta temporada, o jogador estava atuando pelo Guarany de Bagé. Nossa solidariedade aos familiares e amigos do Tiago Cortes nesse momento de dor e perda”.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...