ANO: 26 | Nº: 6542
27/04/2020 Fogo cruzado

Governo federal fixa quantitativo de funcionários da CGT Eletrosul

Foto: Divulgação/Eduardo Tavares

Limite máximo para empresa que controla usina de Candiota é de 1.625 trabalhadores
Limite máximo para empresa que controla usina de Candiota é de 1.625 trabalhadores

O Ministério da Economia, através da Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, aprovou portaria com o quantitativo de pessoal próprio das empresas do Grupo Eletrobras. A medida fixa o limite para o quadro de pessoal próprio da CGT Eletrosul (resultado da fusão entre a CGTEE e a Eletrosul) em 1.625 servidores. O número representa uma redução, no comparativo com o efetivo de 2019.
O limite máximo previsto para a Eletrosul, até o ano passado, era de 1.374 funcionários em quadro geral, enquanto o limite para a CGTEE, que mantinha sede em Candiota, era de 346 servidores. Os quadros das duas companhias (fundidas no início deste ano, dando origem à CGT Eletrosul, que assumiu o controle da usina de Candiota) poderiam totalizar, portanto, 1,7 mil trabalhadores.
Os limites da Amazonas GT, da Chesf, da Eletronorte, Eletronuclear e Furnas, que, em 2019, eram de 419, 3.903, 2.931, 1.830 e 2.751 servidores, respectivamente, passaram para 382, 3.372, 2.624, 1.796 e 2.548 funcionários, em 2020. O limite da Eletrobras (holding), que era de 901, passou para 850. Todas as empresas integraram o Plano de Demissão Consensual (PDC), concluído no ano passado.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...