ANO: 26 | Nº: 6589
02/05/2020 Segurança

Maio Amarelo: Detran/RS divulga levantamento de acidentes com mortes no trânsito

Foto: Patrícia Leal/Especial JM

Prevenção e educação é foco de campanha
Prevenção e educação é foco de campanha

Ao começar o mês de maio, onde o trânsito é observado de perto e se fazem diversas atividades para prevenir acidentes, o Departamento de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS) fez um levantamento de dados com dados de acidentes fatais, número de vítimas, faixa etária, turno, sexo, tipo de acidente, via, veículos e participação.

O estudo, segundo informações do relatório do Detran/RS, tem como fonte dados do Sistema de Consultas integradas da Secretaria Estadual de Segurança Pública, onde bases de dados de órgãos subordinados a secretaria, como Brigada Militar, Polícia Civil, Superintendência de Serviços Penitenciários e Instituto Geral de Perícias estão reunidas de forma padronizada. A coleta destes dados de acidentes de trânsito, envolvendo vítimas fatais, é obtida por pesquisa e investigação das ocorrências policiais.

Os dados da pesquisa são coletados de maneira minuciosa, levando-se em conta as mortes, cuja causa envolva acidente de trânsito, desde que não ultrapasse 30 dias entre o fato e a morte.

Números

No levantamento estadual, a maioria dos acidentes com vítimas fatais ocorrem nos sábados, em primeiro lugar, seguido de domingo, sexta-feira, segunda-feira, quarta-feira, quinta-feira e por último terça-feira. Estes registros ocorrem, principalmente, segundo os dados, nos turnos, em ordem, da noite, manhã, tarde e madrugada.

Conforme o levantamento, a maioria dos acidentes aconteceram com colisão, em segundo atropelamentos, choque em objeto fixo (exemplo: poste), tombamento e capotagem. Os veículos que se envolvem em acidentes com vítimas fatais, em ordem, são automóveis, motocicletas, caminhões, caminhonetes, reboques, bicicletas, ônibus e tratores.

Nos sinistros quem mais morre são condutores, seguidos por motociclistas, pedestres, passageiros, ciclistas e caronas de motocicletas. Em primeiro lugar em local, onde ocorre o fato estão rodovias, ruas, avenidas e estradas (de chão); destas, as mortes ocorrem principalmente nas vias municipais, seguidas de estaduais e por último federais.

As faixas etárias de maior número de mortes são, em primeiro lugar, adultos de 30 a 34 anos, seguido de jovens adultos de 21 a 24 anos, depois de 25 a 29 anos em terceiro lugar, em quarto lugar de 35 a 39, quinto lugar, idosos de 65 a 74 anos, sexto lugar 50 a 54 anos, sétimo de 55 a 59 anos, oitavo lugar 45 a 49 anos, nono de 40 a 44 anos e por último em décimo de 18 a 20 anos. O Detran ainda percebeu que 79% das vítimas fatais são homens e 21% mulheres.

No Rio Grande do Sul, em 2018, ocorreram 1.489 acidentes com vítimas fatais e, em 2019, foram 1.451. Destes, 1.671 vítimas morreram em 2018 e 1.594 vítimas em 2019. O mês de abril acumulou mais acidentes fatais no ano de 2018; já em 2019, o mês mais violento foi Maio.

 

Região

Em 2018 e 2019, a cidade de Aceguá não teve registro de acidentes com vítimas fatais. Bagé registrou, em 2018, oito sinistros com óbito, tendo sido seis deles nas vias municipais, com sete mortes registradas e dois nas rodovias federais. Em 2019, a Rainha da Fronteira apresentou 10 registros de acidentes com vítimas fatais, sendo que destes sete foram em vias municipais. 
O secretário de Segurança e Mobilidade, José Carlos Nobre, enfatizou que a prevenção será a arma para redução. "Em 2020, ainda não tivemos nenhum óbito, felizmente, no trânsito, mas estamos investindo em prevenção", comentou.
Candiota registrou, em 2018, cinco acidentes com vítimas fatais, sendo quatro nas vias municipais e um na rodovia; em 2019 o município não contabilizou mortes. Em 2018, a cidade de Dom Pedrito registrou dois acidentes com óbito e, em 2019, o mesmo número, sendo um em via municipal e um em rodovia federal, nos dois anos.
Por fim, Hulha Negra registrou dois acidentes com mortes em 2018, sendo um em via municipal e um em rodovia federal. Já em 2019, ocorreu apenas um acidente na rodovia federal, com uma morte.

 

Prevenção

Em Bagé, a Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade (SSM) já prepara uma campanha especial para o Maio Amarelo, mês de prevenção à acidentalidade. Conforme Nobre, a ação deve ser diferente, devido à pandemia de Covid-19 (novo coronavírus). “Iremos adaptar as ações para serem virtuais, pois todos os anos levamos educação do trânsito nas escolas, pois as crianças são multiplicadores. Faremos nas redes sociais da SSM”, ressaltou.

Nobre destaca que a Educação no Trânsito pode contribuir para a redução dos acidentes. “Investimos no Maio Amarelo, pois é a melhor prevenção. Vamos apresentar de maneira pedagógica, de forma on-line, para que todos tenham acesso”, concluiu.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...