ANO: 26 | Nº: 6588
12/05/2020 Opinião

Patriotismo real x Patriotismo fake: algumas considerações

Foto: Reprodução JM

por César Jacinto
Mestre em Ensino

A palavra patriotismo nos dicionários pode ser encontrada como qualidade ou característica de quem é patriota, diz respeito aquele que ama e tem devoção pela pátria, porém é necessário o respeito às instituições e seus cidadãos e as respectivas leis que regem esta nação, atitudes de desrespeito ao estado democrático de direito, ao enfraquecimento da democracia e da imprensa livre significam um caminho oposto, percorrendo então um sentido que levará a individualidade e a escolha por uma direção da pessoalidade, alicerçada no ódio, na mentira e na banalidade, o que denomino de Patriotismo Fake.
Nelson Rodrigues, célebre escritor, cronista e dramaturgo carioca descreveu, como poucos, a importância do futebol na vida do povo brasileiro relacionando esta paixão com a construção de uma identidade nacional, assim criou a ideia de que a seleção brasileira de futebol seria a pátria de chuteiras pois, representaria os anseios de conquistas dos brasileiros numa relação de amor e cumplicidade, traduzindo-se num sentimento de Patriotismo Real através do esporte. Portanto ao se reunir à frente da televisão para acompanhar a copa do mundo de futebol e as olimpíadas é certamente um ato patriótico e identitário, de afirmação da nossa brasilidade.
Patriotismo Real também é resistir às atrocidades e injustiças do sistema, assim, ressaltam-se dois momentos históricos a "Revolta da Chibata", liderada pelo gaúcho João Cândido, na baia da Guanabara em novembro de 1910, que exigia o fim das punições físicas aos marinheiros também foi um ato de amor à pátria. O movimento pelas "Diretas Já" pelo restabelecimento da democracia com o ápice em 1984 reuniu todos os segmentos da sociedade por um sentimento coletivo de liberdade de expressão e de restabelecer o sufrágio universal para escolha dos seus representantes, ambos fatos ganharam versão musical impecável de Aldir Blanc, ilustre compositor, falecido recentemente, que em parceria com João Bosco criou dois hinos para estes episódios de resistência, respectivamente o "Mestre Sala dos Mares" e "O Bêbado e a Equilibrista".
Do que adianta vestir verde e amarelo, ouvir o hino nacional diariamente em posição de sentido e bradar que é pela família, se por outro lado participa de atos que impedem ou cerceia o direito de exercício de profissões como da área da saúde, que estão colocando em risco suas vidas para salvar as nossas e da imprensa cujas funções são deveras relevantes para o país, sem esta liberdade o estado democrático de direito fica ameaçado, promover agressões a estes profissionais psicológicas, físicas ou morais, isto é Patriotismo Fake. Por detrás de um discurso de amor à pátria, inserem-se aspectos subjetivos, geralmente conservadores, elitistas, que refletem atitudes, homofóbicas, racistas, sexistas, machistas, dentre outras, que são a pura afirmação do ódio.
O Patriotismo Fake tem como características a inversão dos valores de uma sociedade e da pátria, são atitudes que subvertem a realidade, onde se odeia em nome do amor, se mata em nome da vida, se espalha a mentira em nome da verdade, semeia a discórdia em nome da união, segrega em nome da unidade, defendem a intolerância em nome da tolerância. Santos Dumont, outro ilustre compatriota que morreu desgostoso pelo seu invento ser utilizado para aniquilar vidas, estaria descontente se vivo fosse, assim como a ciência brasileira está desvalorizada e sofrendo ataques injustos, logo ela que em tempos de Covid-19 está a serviço da nação com pesquisas em campos distintos pelo benefício coletivo.
É oportuno lembrar também de uma situação ocorrida com o exímio maestro Villa Lobos quando chegou pela primeira vez na França para apresentar sua obra, que tem sua estrutura melódica, rítmica baseada principalmente no folclore brasileiro e como tema nossa flora e fauna. Ao se posicionar perante o piano para início do seu recital fez a seguinte exclamação: "Vim para tocar a música do meu país, se quiserem apreciar fiquem a vontade, caso contrário fecho minha partitura e volto para minha terra" se determinados estadistas seguissem este gênio brasileiro certamente nossa soberania estaria garantida, Patriotismo Real.
Patriotismo Real é nos emocionarmos com as canções de Tom Jobim, Pixinguinha, Chico Buarque, Milton Nascimento, que são executadas em todo planeta, encantar-se com o talento de Romero Brito um dos artistas plásticos mais venerados na atualidade com sua Pop Art, a maestria de cineastas como Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos e Joel Zito Araújo, atores como Lima Duarte, Milton Gonçalves, Grande Otelo, atrizes como Ruth de Souza, Fernanda Montenegro e Camila Pitanga desfilaram e desfilam talento em toda parte. O Brasil é de todos, que prevaleça o Patriotismo Real para o bem comum e felicidade geral da nação.


Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...