ANO: 26 | Nº: 6590
13/05/2020 Cidade

Construção civil irá retomar as contratações e obras de forma gradativa

Foto: Tiago Rolim de Moura

Obras ficaram paradas desde março
Obras ficaram paradas desde março

A retomada dos trabalhos da construção civil, com 100% dos trabalhadores, deve ser gradativa em Bagé. A liberação plena foi anunciada, na segunda-feira, pelo prefeito Divaldo Lara - um decreto específico deve ser publicado hoje.
Entre as obras atingidas, está a da Estação Rodoviária, realizada pela empresa Nicolini, através de permuta com a prefeitura. Conforme o diretor de relacionamentos da rede, Selmo Dias, os trabalhos foram retomados ainda anteriormente, quando um decreto municipal estabeleceu que até 12 trabalhadores atuassem em empreendimentos do setor de construção.
Dias explica que a empresa está executando parte do projeto, visto que o Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer) solicitou algumas alterações no setor dos banheiros, para adequação de normas nacionais das estações rodoviárias. “Não temos muito espaço e, para mexer no projeto, é necessária a autorização de todos os condôminos”, relatou.
O diretor salienta que a obra para a nova loja da rede, que será em um terreno atrás da atual estrutura, está em fase de orçamento e contrato. Segundo ele, não há prazo para iniciar, mas a empresa já está finalizando os trâmites.
Outra empresa que está retomando as atividades é a do empresário Luis Fernando Dalé. Com atividades suspensas desde março devido à disseminação do coronavírus (Covid-19), o grupo precisou fechar postos de trabalho e chegou a demitir funcionários. Segundo Dalé, a retomada plena das obras será realizada gradualmente. “Nos pegou de surpresa e já estamos tratando de recontratar os trabalhadores”, afirma.
A empresa parou todas as obras em andamento, inclusive nos canteiros do residenciais Sagrada Família e Nossa Senhora Auxiliadora, do programa Minha Casa, Minha Vida, que estavam praticamente concluídos, faltando apenas liberação da Caixa Federal. O empresário enfatiza que, antes da paralisação, a empresa contava com cerca de 330 funcionários entre contratados e terceirizados. “Devemos chegar a uns 220 neste primeiro momento, visto que tivemos um impacto econômico e de produção”, ressalta.
Dalé afirma que já está tomando todas as medidas de proteção sinalizadas no Decreto Municipal, inclusive treinando os trabalhadores para evitar algum contratempo.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...