ANO: 26 | Nº: 6525

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
19/05/2020 Divaldo Lara (Opinião)

Bagé unida e forte contra a Covid-19

Foto: Reprodução JM


Divaldo Lara – prefeito de Bagé

Em Bagé estamos vencendo o coronavírus. Nossas ações, que começaram a ser implementadas ainda na primeira quinzena de março, interromperam o contágio que se pretendia avassalador. A Covid-19 chegou pela Santa Casa de Caridade três dias depois da Prefeitura anunciar as primeiras medidas de enfrentamento à pandemia, como a suspensão das aulas da rede municipal e a proibição de eventos com aglomeração.
O contágio iniciar no hospital serviu como alerta de urgência, não dava para perder tempo. Era preciso agir rápido. Muito rápido. E assim fizemos. Com uma equipe técnica montada, o secretário Mário Mena Kalil e o coordenador estadual de saúde Ricardo Necchi à frente, fomos em busca dos rastros do vírus. A Vigilância Epidemiológica e a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa realizaram um trabalho de controle e monitoramento impressionantes, do mais alto grau técnico, buscando e isolando todos os contatados pelos infectados.
Assim, antes mesmo do primeiro decreto com as normas de isolamento social já havia uma força-tarefa em ação na cidade, inclusive com planejamento para a montagem de um hospital de campanha, o que foi possível com a ajuda da Urcamp.
A forma inusitada e perigosa como o coronavírus chegou mexeu com o brio dos bajeenses. Na hora do medo, em momentos de desespero, é que se espera a força e a coragem de um governo. Foi o que aconteceu. Agimos com rapidez e responsabilidade. Determinamos o toque de recolher e saímos às ruas para monitorar e orientar as pessoas; desinfectamos locais de grande fluxo, estamos vigilantes em tempo integral para que sejam obedecidas as normas sanitárias dos serviços essenciais, vacinamos em sistema drive-thru e nas residências, adquirimos vacinas para a pneumonia além da gripal.
Nosso trabalho e a solidariedade dos bajeenses permitiram que encarássemos como uma afronta que o Estado nos oferecesse containeres frigoríficos para armazenas corpos. Fomos firmes em dizer não porque acreditamos nas nossas ações e aceitar era como se estivéssemos perdendo a batalha. E, pelo contrário, trilhamos o caminho da vitória. A união salva vidas. Quando nas ruas pedimos para as pessoas ficarem em casa recrutamos para a equipe quem está disposto e em condições de participar dessa batalha. Porque é o desejo de muita gente agir por sua cidade.
Chamamos os empresários, sem a força de quem faz o desenvolvimento de Bagé não haveria união de verdade. Eles compreenderam a necessidade de parar as atividades comerciais. E a volta gradual ocorreu com a participação deles.
Dialogamos com líderes religiosos, só eles poderiam dizer aos fiéis "fiquem em casa em nome de Deus" e seriam ouvidos. Mantivemos a população informada de tudo, a imprensa exerceu esse papel com a boa vontade daqueles que tem prazer em cumprir seu dever. Agimos unidos para sair da condição de cidade mais infectada do interior gaúcho e décima em proporcionalidade no Brasil para fora dos olhares assustados, deixamos de ser um número que atemorizava para ser exemplo de eficácia no combate à Covid-19.
Agora, com os mais de três mil testes rápidos e o constante monitoramento da circulação do vírus chegamos a fase em que todo o cuidado deve prevalecer. Não dá para esmorecer. Não podemos voltar à normalidade se não nos cuidarmos agora, neste momento crucial. Vamos vencer. Estamos vencendo. A sua ajuda é fundamental, use máscara, lave as mãos com frequência, mantenha o distanciamento, fique em casa o máximo que puder e ajude Bagé a vencer mais essa batalha.


Deixamos de ser um número que atemorizava para ser exemplo

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...