ANO: 26 | Nº: 6526
21/05/2020 Estado

Encaminhamento das carteiras de identidade se adapta ao modelo de Distanciamento Controlado

Foto: Reprodução JM

Motorista Alef Brum foi um dos atendidos recentemente, seguindo todos os protocolos de segurança
Motorista Alef Brum foi um dos atendidos recentemente, seguindo todos os protocolos de segurança
Cuidados para evitar a propagação da Covid-19 garantem segurança no atendimento de quem precisa fazer carteira de identidade no Instituto-Geral de Perícias (IGP), no bairro Azenha, em Porto Alegre. Desde o lado de fora, a precaução já deixa marcas. No chão, faixas coloridas, instaladas de dois em dois metros, indicam onde deve ficar quem espera para fazer o documento. Na outra entrada, o atendimento é para os que vão retirar o documento. Dentro do saguão do Departamento de Identificação, os cuidados são ainda maiores.

Todo o procedimento está adaptado ao modelo de Distanciamento Controlado, instituído por decreto do governo estadual. O modelo prevê protocolos e limites para o atendimento presencial, de acordo com a situação do município. Porto Alegre foi classificada na bandeira laranja, ou seja, com risco médio, em um cálculo que leva em conta a quantidade de casos e a capacidade da rede de saúde. No caso do Departamento de Identificação, são permitidas a presença de até 50 pessoas, entre servidores e público, simultaneamente.

Antes mesmo de começar a trabalhar, os atendentes precisam preencher um formulário, relatando suas condições de saúde. Quem teve febre ou contato com alguém com Covid-19 é dispensado da escala de trabalho, que prevê revezamento nos dias da semana.

Um guichê separado atende exclusivamente idosos e pessoas com necessidades especiais. Ao fundo, as estações de trabalho foram afastadas, para fixar em dois metros o distanciamento entre as pessoas. Quem atende o público usa máscara ou escudo facial, luvas e manguitos, assim como usa constantemente álcool gel 70%. O produto é utilizado para esterilizar mesa, mouse, teclado, caneta e os escudos faciais após cada atendimento. Na hora de coletar as impressões digitais, é oferecido álcool gel para quem está sendo atendido. Só quem está de máscara pode entrar no departamento.

O motorista Alef Brum foi um dos atendidos recentemente. Ele teve os documentos roubados em fevereiro, antes da pandemia. Prestes a conseguir um novo emprego, conseguiu fazer o encaminhamento, por telefone, de um dia para o outro. “Foi tudo perfeito, bem rapidinho”, contou.

Segundo a diretora do Departamento de Identificação do IGP, Katia Reolon Bittencourt, em média, são encaminhadas 210 carteiras de identidade por dia. “É possível manter o atendimento dos serviços essenciais e, ao mesmo tempo, preservar a saúde de todos. Basta seguir à risca as recomendações e ficar atento às mudanças, já que o modelo é reavaliado a cada semana”, afirmou.

Restrições

Apesar das adaptações, o atendimento segue restrito aos casos urgentes, com necessidade comprovada por documentos. São consideradas urgências a retirada de receitas em farmácias, internações e cirurgias de emergência, casos de roubos e furtos e viagens de avião agendadas com urgência.

Em todos esses casos, é necessário apresentar documentos, como receitas médicas, boletins hospitalares, boletins de ocorrência e passagens aéreas, que comprovem o relato. A prioridade é dada para os que necessitam da identidade para receber o auxílio emergencial do governo.

Com informações do Governo do Rio Grande do Sul

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...