ANO: 26 | Nº: 6586

Padre Jair da Silva

pejairs@yahoo.com.br
Pároco da Catedral
23/05/2020 Padre Jair da Silva (Opinião)

A hipocrisia

"Hipócrita, tire primeiro a trave do seu próprio olho, e então você enxergará bem para tirar o cisco do olho do seu irmão" (Mt 7,5). Criticar, questionar, apontar erros, num processo de correção e ajuda faz bem, o problema é quando tudo isso nos leva a um moralismo, ou seja, apontamos erros nos outros e esquecemos dos nossos que às vezes são maiores.
Lembro aqui aquela expressão da autora francesa Anaïs Nin: "não vemos as coisas como elas são, mas como nós somos". O que nos permite dizer: não vemos os outros como são, mas como somos. Ou seja, muitas vezes aquilo que eu estou criticando, apontando nos outros, é algo que está muito presente na minha vida. Portanto, tenhamos cuidado com a hipocrisia.
Acompanhando os acontecimentos e observando o comportamento das pessoas, nos deparamos com uma realidade muito triste, de muita hipocrisia. Me refiro aquelas pessoas que eram contra o bolsa família, agora estão correndo para conseguir o bolsa BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ou aqueles que diziam que era muito dar aos pobres R$ 170,00 de bolsa família, agora acham pouco R$ 600,00 que estão recebendo de auxílio. Ou ainda, aqueles que vivem protestando contra a corrupção, mas são os primeiros a querer levar vantagem em tudo. Como diz o ditado popular: "macaco não olha para o próprio rabo".
Erros todos temos, o importante é buscar nosso crescimento reconhecendo eles. "Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra" (Jo 8,7). Quando permitimos que o nosso encontro com Jesus seja profundo, verdadeiro, nós nos desarmamos, nos convencemos de que não precisamos mais caminhar pela vida munidos de pedras, pedras com as quais ferimos os outros e nos ferimos a nós mesmos. Podemos caminhar na vida com o coração mais humanizado, olhando para nós mesmos e para os outros com um olhar de misericórdia e de esperança.
O que precisamos é realmente encher o nosso coração de Deus. Talvez a nossa prática de oração esteja um tanto descuidada. Em um de seus pronunciamentos, o Papa Bento XVI dirigiu aos católicos do mundo inteiro as seguintes palavras: "a oração não é um acessório, uma coisa opcional, mas uma questão de vida ou morte". De fato, a oração é a forma, é o caminho de encher o nosso coração de Deus. E, como diz o próprio Cristo: "a boca fala do que o coração está cheio" (Mt 12,34).
Sejamos mais sensatos, ao invés de ficarmos nos gladiando uns aos outros, agradeçamos as maravilhas de Deus na nossa vida, pois pecadores como somos, Ele não se esquece de cada um de nós e sabe das nossas necessidades. Nem sempre sabemos olhar as graças que o Pai realiza na nossa vida. Às vezes nos encontramos vacilantes na fé ou no pecado, que não nos faz enxergar as maravilhas que Ele realiza em nós, mas Ele está sempre cuidando de nós. E, um obrigado diário ao nosso Criador não é mais do que a nossa própria obrigação, porque tudo que somos e temos vem da Sua bondade, "pois nele vivemos, nos movemos e existimos, como alguns dentre os poetas de vocês disseram: somos da raça do próprio Deus" (At 17,28)

Pe. Jair da Silva
pejairs@yahoo.com.br
(55) 997051832

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...