ANO: 26 | Nº: 6525
23/05/2020 Cidade

Aumenta procura por exames radiológicos, utilizados para verificação de covid-19

Foto: Felipe Valduga

Tomografia de tórax é utilizada para diagnóstico de covid-19
Tomografia de tórax é utilizada para diagnóstico de covid-19

A pandemia ocasionada pelo coronavírus fez com que a demanda de exames radiológicos, como a tomografia de tórax, que é um dos exames de imagem mais específicos para o diagnóstico da Covid-19, tivesse um aumento na demanda. Com isso, as clínicas e hospitais que oferecem esse tipo de serviço, tiveram que intensificar os cuidados para a entrada dos pacientes e limpeza dos equipamentos. O setor de radiologia do Hospital Universitário Doutor Mario Araújo, mantido pela Fundação Attila Taborda (Fat), é um deles.

O HU, conforme a coordenadora do setor de Radiologia, Claudia Greiner Eggas Taborda, registrou um aumento de 60% na demanda para este tipo de exame no mês de abril. Ela ressalta que o diferencial da instituição é que os resultados podem sair em uma hora após a realização do exame. O setor também trabalha com horário amplo das 8h às 20h, sem fechar ao meio-dia, e no sábado à tarde.

Claudia salienta que o setor recebe apenas um paciente por vez, e com agendamento prévio. Também são atendidos os encaminhamentos do Pronto Atendimento, que funciona no hospital.  O setor orienta e disponibiliza todos os Equipamentos de Proteção Individual para os colaboradores e mantém a assepsia constante nos equipamentos e espaço. “Não tivemos nenhum afastamento de trabalhadores desde que iniciou a pandemia, devido aos cuidados que tomamos desde o inicio”, destaca.

Trabalho técnico

A técnica em radiologia Carla Gonçalves, que trabalha no setor, tem experiência de 16 anos. Ela ressalta que a maioria dos encaminhamentos são ambulatoriais e poucos pacientes apresentaram laudos favoráveis à Covid -19. A profissional ressalta que, no início, as pessoas estavam mais assustadas e houve um aumento na demanda, mas agora já estabilizou.   

Conforme Carla, quando o paciente chega com algum sintoma da doença, como falta de ar, tosse e febre, o cuidado é redobrado. Ela informa que sempre teve o costume de higienizar as mãos e também utilizar o álcool em gel, mas, agora, realiza a assepsia mais vezes. “Realizamos limpeza nos equipamentos várias vezes, na entrada e saída do paciente, independente dos sintomas. Também usamos máscara, luva, óculos, proteção de acrílico e aventais descartáveis. A parte física do prédio também é limpa várias vezes, desde a porta, chão, cadeiras e todos os lugares que o paciente toca”, informa.

Carla ressalta que se coloca no lugar do paciente e, desse modo, busca mostrar tranquilidade e segurança para a realização do exame. “Nós também temos família e precisamos tomar cuidado para não haver nenhuma contaminação”, destaca.

Cuidado com os funcionários e pacientes

Na CTSul, a situação é semelhante. De acordo com o médico radiologista e diretor clínico Conrado Tramunt, o local passou por reformulação total para atender os pacientes durante a pandemia. Ele salientou que diminuiu o número de cadeiras, de marcações para os demais exames e também aumentou o tempo de intervalo entre cada paciente, para evitar aglomerações. “O paciente deve vir sozinho e já na porta recebe álcool em gel para a higienização. A máscara é obrigatória e, se o pessoa não tiver, a clínica disponibiliza”, enfatiza.

O médico ainda frisa que a clínica contratou uma colaboradora para reforçar a limpeza das paredes, maçanetas, chão e cadeiras. A empresa também colocou vidros nos balcões de atendimento para proteção dos funcionários. O diretor relata que os equipamentos, após cada exame realizado, recebem higienização. “É feita toda a limpeza e trocado o material utilizado, para que tenha a maior segurança possível”, comenta.

Além disso, ele enfatiza que o paciente que realiza outros exames pode ser assintomático para a Covid -19 e, por isso, é necessário cuidados redobrados e utilização dos EPIs pelos técnicos. “Estamos trabalhando duro para que isso não se propague e consigamos proteger ao máximo os pacientes e funcionários”, afirma.

O radiologista confirma que a tomografia de tórax é o exame mais especifico de imagem para o laudo de covid-19 e, com isso, houve certamente o aumento na demanda. “É um exame muito bom para ser feito numa suspeita”, observa.

Rotina

Na Dirad, que funciona junto à Santa Casa de Caridade de Bagé, também houve aumento na procura e realização de tomografia de tórax por sintomas respiratórios. Conforme a gerente administrativa da clinica, Bianca Godinho, estão sendo tomados todos os cuidados  indicados pelo Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) e Ministério da Saúde e, com isso, até agora, nenhum colaborador foi infectado.

Bianca ressalta que, para a realização do exame, é necessária a solicitação de um médico. “Neste período de pandemia, percebemos os diferentes modos de atendimento, de convivência e de trabalho, pois trabalhamos com o bem mais precioso das pessoas que é a sua saúde”, comenta.

Segundo a gerente, neste momento, foram adotadas medidas adicionais à rotina, como uso de máscaras, aventais, óculos de proteção, touca, luvas e propés por todos os profissionais. “Lidamos várias vezes com a incerteza do momento em que estamos passando, até por parte dos pacientes, mas acredito que também nos ajudou a perceber o quanto o trabalho de cada um é importante para o todo e que passaremos por período ainda mais fortes”, acredita.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...