ANO: 26 | Nº: 6525
23/05/2020 Cidade

Urcamp explica funcionamento remoto e aulas virtualizadas

Foto: Chrystian Ribeiro/Ascom

Equipe gestora explicou o funcionamento da instituição adaptada ao período de pandemia
Equipe gestora explicou o funcionamento da instituição adaptada ao período de pandemia

Pela primeira vez em mais de seis décadas de atuação, a Urcamp suspendeu as aulas presenciais. Em consequência da pandemia de coronavírus, diversas empresas de diferentes setores pausaram as atividades para garantir a segurança de funcionários e clientes. No caso da Urcamp, não foi diferente. Contudo, como o segmento da Educação permite a utilização de ferramentas tecnológicas para aprendizagem, a instituição recorreu às aulas virtualizadas para manter o conteúdo programático do semestre.
As adaptações, dificuldades e sucessos obtidos com o novo sistema foram a pauta de uma live transmitida na noite da última quarta-feira, através das páginas da Urcamp e do Jornal Minuano, nas redes sociais. O bate-papo "Os desafios da Educação em tempos de pandemia" contou com a presença da reitora, Lia Quintana, o vice-reitor, Fábio Paz, e a pró-reitora de Ensino, Virgínia Paiva Dreux, com mediação da jornalista, Giana Cunha.
Primeiras medidas e adaptação frente à pandemia
Quando as primeiras notícias de casos começaram a chegar e a instituição iniciou a operação de mobilização para atender de forma remota, a prioridade da reitoria foi preservar a saúde dos professores, alunos e funcionários. "Todo mundo vai ter dificuldades financeiras, mas temos que nos preservar e cuidar um dos outros. Agora estamos aprendendo outra forma de trabalhar", diz Lia.
A pró-reitora apontou que os preparos para as aulas virtualizadas durante a quarentena iniciaram três dias antes do início. Contudo, a ação só foi possível graças ao preparo dos professores de todos os níveis de ensino da Urcamp. "Foram 60 dias de muitos desafios, mas tudo foi superado", destaca.
"Estamos no preparo desde 2018 com novas tecnologias, com capacitação dos professores, com treinamento. E isso nos auxiliou muito na transição quando nos vimos obrigados a nos adaptar ao ambiente virtual (durante a quarentena). A Urcamp está se reinventando e tentando da melhor forma possível prestar serviço com qualidade", afirmou Paz.
EaD x aulas virtualizadas
Questionada sobre a diferença das aulas do Ensino a Distância (EaD), modalidade também oferecida pela instituição, para as aulas virtualizadas, adotadas pela Urcamp durante a pandemia para seguir o cronograma de aulas dos cursos presenciais mesmo durante o isolamento social, a pró-reitora explicou: "O EAD não tem acompanhamento em tempo real dos alunos. Os professores colocam as atividades na plataforma e aluno acessa e depois os professores voltam para corrigir. Nas aulas virtualizadas, em todos os níveis de ensino, o professor está todo tempo acompanhando o aluno. Chamamos isso de aulas síncronas, além das atividades assíncronas, disponibilizadas para os alunos na plataforma", esclarece.
Para complementar as aulas e atividades virtualizadas, a instituição agora negocia a implantação de laboratórios virtuais. "A Urcamp tenta de todas as formas continuar a oferecer ensino de qualidade neste momento. Estamos finalizando tratativas para implantar laboratórios virtuais que serão usados pelos cursos da saúde, Engenharia, Biologia. Ainda não sabemos quando tudo vai voltar ao normal, mas estamos nos preparando da melhor forma para atender este momento, com investimento em tecnologia", destaca o vice-reitor.
Lia aponta, ainda, que as aulas virtualizadas foram bem aceitas pelos estudantes e isso pode ser averiguado pela frequência, que subiu após a implantação das aulas remotas. No momento, a Urcamp está com 823 turmas virtualizadas no Ensino Superior e 25 Ensino Fundamental, Médio, Técnico (em outros campi da instituição". "O percentual dos alunos é de 85% na plataforma. Estamos conseguindo cumprir a grade dos cursos, com os currículos em dia e conteúdos programáticos previstos. Claro que algumas demandas ficam represadas, como aulas práticas, mas ainda não estamos com nível de segurança adequado, precisamos tomar os devidos cuidados e aguardar a liberação para retomada das aulas presenciais", explica.
Vestibular
Mesmo com a situação gerada pela pandemia e o isolamento social, é possível garantir uma chance de ingressar na Urcamp e se preparar para o mercado de trabalho. Além do aproveitamento da nota do Enem, a instituição disponibiliza duas modalidades de seleção, com isenção de taxas.
O vestibular já está com inscrições abertas com duas modalidades de prova, ambas on-line: pré-agendada, de acordo com o horário e dia de preferência do candidato, com aplicação a partir do dia 1º de junho, ou no dia escolhido pela instituição, 28 de junho.
É importante destacar que as provas são realizadas em uma plataforma com ambiente seguro, sem cobrança de taxas. A inscrição para a prova pode ser realizada diretamente no site da Urcamp.
Negociações abertas
Como a pandemia afetou diretamente a atividade econômica de muitas famílias e alterou a rotina das empresas, muitas pessoas tiveram sua renda familiar diminuída. E para que ninguém pare sua graduação, a Urcamp está aberta para negociar os valores de mensalidades, de acordo com as particularidades dos casos de cada aluno.
Paz explica que no momento a instituição não possibilita um desconto linear, válido para todos os estudantes. Mas os casos são analisados de forma pessoal e particular, o que possibilita uma negociação satisfatória para as duas partes. " Somos sensíveis à isso. Por isso estudamos caso a caso dos alunos que comprovarem a perda emprego ou diminuição da renda. Tem soluções para cada situação especial. Basta entrar em contato através dos canais de atendimento", garante.
O vice-reitor conta que mesmo com a quarentena, a instituição continuou oferecendo atendimentos e serviços integrais, ainda que de forma remota. Com a continuidade do serviço, há a continuidade das despesas, mantidas, principalmente, com o valor pago pelas mensalidades. "Tivemos reduções pequenas como a luz, que representa 1% do custo da instituição. Os principais custos são os impostos e a folha de pagamento, que é cerca de 82%. O resto é utilizado para manter a instituição. Entendemos a situação financeira das famílias dos alunos, mas pedimos compreensão para a Urcamp e instituições que continuam prestando serviço. Não utilizamos MP (Medida Provisória) que suspendia salários ou demissões. Nossos profissionais estão em casa e, devido ao tipo de trabalho, muitos não têm como fazer home office e mesmo assim continuam recebendo", explica.
A reitoria lembrou que a instituição já oferece descontos de incentivo, como o valor abatido na mensalidade paga adiantada ou por semestre cheio. "Já temos incentivo de descontos. Nós readequamos os custos e as mensalidades do ensino sofreram redução em 2019. Mas, muito tranquilamente, oferecemos possibilidades de negociação com os alunos", relata.
Formaturas
Virgínia adiantou que alguns concluintes deste semestre, que já fecharam todas as horas de estágio, poderão colar grau ainda neste semestre. Contudo, a grande parte deve ser prorrogada para metade do segundo semestre, em virtude dos estágios. "Ainda não tem como prever uma data", justifica.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...