ANO: 26 | Nº: 6573

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
06/06/2020 José Artur Maruri (Opinião)

Professores gratuitos


"Eu, porém, vos digo: Amai vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem". (Mateus 5:44)
Em tempos de polarização em todas as frentes, mas, principalmente, no campo político e econômico, vale revisitar Emmnuel que, através de Chico Xavier, interpretou um versículo muito conhecido das escrituras, sob o enfoque de Allan Kardec e, por assim dizer, do Espiritismo.
"Todas as aquisições guardam o preço que lhes corresponde.
Enquanto na Terra, permutamos sempre, por determinados valores, certas utilidades de que a nossa vida carece.
Compramos o livro que nos ensina, pagamos o ingresso ao parque de diversões, adquirimos o comprimido para a dor de cabeça.
Somos devedores, nas escolas, nos bancos, nos armazéns, nas farmácias.
Por toda parte os recursos ordinários da alimentação e do vestuário exigem nosso esforço na capacidade alcança-los.
Em todos os lugares, os instrutores competentes, nessa ou naquela matéria cultural em que iniciamos a inteligência, reclamam honorários justos.
Pagamos, cada dia, ensinamentos, suprimentos, dívidas e prestações.
E para isso compete-nos trabalhar infatigavelmente, usando o suor, a humildade, a diligência, a iniciativa, a coragem e a renunciação.
Entretanto há uma classe de orientadores que nos trazem talentos da virtude, sem exigir pagamento. Lecionam paciência e bondade, tolerância e perdão.
Ajudam-nos a edificar o santuário da fé e induzem-nos à vigilância sobre nós mesmos.
Amparam-nos à distância, com os raios de sua força, mantendo-nos em posição de alerta, no desempenho de nossos deveres.
Constrangem-nos a meditar em nossas próprias necessidades de melhoria íntima e conduzem-nos, sem perceberem, a valiosas experiências de renovação interior.
Esses professores gratuitos são os nossos adversários.
São realmente aqueles que ainda não nos podem compreender e guiam-nos, por isso mesmo, à perseverança no bem; ou são aqueles que ainda não conseguimos entender e, por isso mesmo, nos conduzem à desistência do mal.
'Amai aos vossos inimigos!' – disse o Mestre.
E repetiremos por nossa vez:
Amemos aqueles que nos contrariam, aproveitando a oportunidade que nos oferecem ao auto-aperfeiçoamento e, sem ônus do ouro e sem o sacrifício do suor, alcançaremos, por intermédio deles, sublimes talentos espirituais para a vida eterna."
(Referência: Revista Reformador, set. 1953, p. 201)

José Artur M. Maruri dos Santos
Colaborador da S.E. Léon Denis e União Espírita Bajeense

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...