ANO: 26 | Nº: 6590

Dilce Helena Alves Aguzzi

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
09/06/2020 Dilce Helena Alves Aguzzi (Opinião)

Em tempos de mudança de hábitos

Atividades a dois ou em grupo familiar que podem fazer uma grande diferença em plena época de mudança de hábitos em função da pandemia e em qualquer momento da vida:

- Assistir filmes com temáticas diferentes do habitual e depois conversar a respeito, disponibilizar tempo para digerir o que foi visto, ouvir as percepções dos outros sobre o mesmo tema pode ser surpreendente além de trazer novas perspectivas de comunicação para os relacionamentos. Muitas vezes é conversando sobre outras coisas que falamos a respeito de nós mesmos.

- Ouvir músicas diferentes, fazer um sarau em família ou simplesmente pedir para que cada um mostre o que tem ouvido ultimamente, comentar, quem sabe até cantar.

- Hora do blackout. Simular um apagão para ajudar a criar um clima aconchegante e atmosfera mais acolhedora. Se não houvesse energia elétrica e nem internet disponíveis o que poderíamos fazer para passar o tempo? A partir daí podem surgir grandes momentos, emergir ideias interessantes bem como lembranças de infância que podem ser compartilhadas e futuras memórias afetivas estarão sendo construídas.

- Jogos de tabuleiro, de adivinhação, mímica, o bom e velho “stop”, quem conhece vai matar a saudade quem não conhece pode aprender e trazer novidades às famosas categorias “nome, coisa, cidade, comida, filme, cor...”

- Fazer atividade física juntos, pode ser qualquer coisa, alongamentos, jogos de dança ou quem sabe seguir algum instrutor online, um esporte onde a principal intenção seja a interação e diversão.

- Programar um dia ou apenas um momento da semana para todos juntos se ocuparem da organização ou manutenção das atividades da casa. Vale distribuir tarefas, deixar as coisas fluírem, não é hora para exigência de perfeição e faxina e sim um momento para sentir a alegria de realizar uma ação gratificante para todos. Pode ser legal variar na execução de tarefas, se você acumula funções experimente delegar, se faz sempre a mesma coisa sugira a troca de responsabilidades. Nada melhor que enxergar o mundo através da função do outro para começar a ter mais empatia e paciência.

- Enfim, promover um debate organizado sobre tema polêmico, se aventurar na jardinagem, mudar a disposição dos móveis ou radicalizar transformando um cômodo da casa, elaborar um caderno das receitas preferidas da família ressaltando quem é o responsável pela melhor execução de cada prato, juntar todos os álbuns antigos e novas coleções de fotos e deixar a conversa surgir livremente. Assim emergem antigas histórias de infância e vivências familiares engraçadas, experiências difíceis que foram superadas ou os micos de cada um que marcaram e viraram ícones das risadas em momentos de encontro. São muitas opções e possibilidades incluindo nada fazer na companhia um do outro, importante ressaltar que nada fazer não é o mesmo que ficar mexendo no celular!

 

 

“É conversando sobre outras

coisas que falamos de nós”

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...