ANO: 26 | Nº: 6590

Egon Kopereck

egonkopereck@gmail.com
Pastor da Congregação Evangélica Luterana da Paz
13/06/2020 Egon Kopereck (Opinião)

Dia dos Namorados


Amigos leitores!
A cada semana temos motivos e datas especiais para serem lembradas e destacadas. São dias especiais para a Igreja Cristã, são datas comemorativas para a nação, são homenagens para a família, ou ainda, destaque para as diferentes profissões.
Nessa semana que passou, tivemos o Dia dos Namorados. É bonito ver um casal apaixonado, fazendo agrados um para o outro, gestos de carinho, ternura, amor e poesia. Namorados quando falam, não gritam, falam com doçura e amabilidade. As pessoas gritam, quando os corações estão longe. No relacionamento carinhoso de um casal de namorados, devemos sempre de novo nos espelhar, lembrar e procurar reviver, em nosso relacionamento como casal, como família, dentro de um lar feliz.
Um pintor famoso planejou pintar algo extraordinária, que marcasse sua carreira, e que fosse a coisa mais linda do mundo. Para descobrir o que fazer, ele foi pra rua. Encontrou uma jovem moça, e perguntou o que pra ela era a coisa mais bonita do mundo. E a moça, sem demorar muito, respondeu: "É o amor." Ela estava prestes a casar, e pra ela não tinha nada mais bonita e significativo do que o amor. O pintor continuo caminhando, pensando em como colocar numa tela esse sentimento. Foi quando ele viu o padre da cidade. Se dirigiu a ele com a mesma pergunta: "O que, pro senhor, é a coisa mais linda do mundo?" O padre respondeu: "Eu acredito ser a fé. A fé em Deus, a confiança entre as pessoas, ... é a fé." O pintor agradeceu e continuou sua caminhada, pensando no amor, na fé, e encontrou um soldado, a quem repetiu a pergunta, e esse respondeu: "É a paz."
Pensando nessas três coisas, o pintor voltou pra casa: Amor, fé e paz, como colocar isso numa tela. Ao se aproximar de casa, seus filhos vieram correndo ao seu encontro, o abraçaram carinhosamente. Entrando em casa, sua esposa o recebeu com um beijo. Na hora do jantar, sentados ao redor da mesa, depois de terem terminado, fizeram a devoção na Palavra de Deus, oraram, e o pintor, olhando para aquela cena, viu ali o amor, a fé e a paz no lar, e a partir deste cenário, pintou a coisa mais bonita do mundo, e por baixo da tela escreveu: "Um lar feliz".
Amigos leitores! Que bênção é um lar assim, onde existe o amor entre as pessoas, a fé em Deus, acima de tudo, e a fé a confiança de uns para com os outros e, consequentemente, a paz. Um lar feliz, um pedacinho do céu. Um lugar de refúgio, descanso, conforto e consolo.
Quando vivemos o Dia dos Namorados, aos jovens dizemos: Aproveitem esse tempo para se conhecer, deem tempo ao tempo, fortaleçam o amor com diálogo, carinho e ternura. Infelizmente, em nossos dias o se conhecer, é ter relações sexuais, o que contraria o desejo de Deus que disse: "Deixe o homem pai e mãe", isto é, tome a decisão de formar um novo lar, "una-se à sua mulher ", isto é, case, ligue-se a ela, literalmente seria, grude-se a ela, e, vejam, só agora Deus diz: "torne-se uma só carne." Só agora entra a relação sexual. Gênesis 2.24. Essa é a ordem de Deus, diferente é seguir o que o mundo prega e faz, e cresce a cada dia, as decepções, os relacionamentos desfeitos, casamentos mal sucedidos.
Aos casais dizemos: Sejam eternos namorados. Lembrem do seu tempo de namoro, e voltem a agir como naquele tempo, e sejam felizes, tendo um Lar Feliz e abençoado.
Bom fim de semana a todos!

Pastor da Congregação Evangélica Luterana da Paz

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...