ANO: 26 | Nº: 6588

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
13/06/2020 José Artur Maruri (Opinião)

Vibrações compensadas


Quando dizemos que "Fulano sintoniza com Beltrano", referimo-nos, sem dúvida, ao perfeito entendimento entre ambos existentes.
Sintonia é, portanto, um fenômeno de harmonia psíquica, funcionando, naturalmente, à base de vibrações.
Duas pessoas sintonizadas estarão, evidentemente, com as mentes perfeitamente entrosadas, havendo, entre elas, uma ponte magnética a vinculá-las, imantando-as profundamente.
O sábio não se detém para trocar ideias sobre assuntos transcendentes com o homem rude do campo, nada familiarizado com questões científicas ou artísticas, que demandam longos estudos. Os astrônomos, os matemáticos, os biologistas não encontram eco no índio ou no homem inculto para suas tertúlias.
Nem mesmo as árvores prescindem do fator sintonia. Serão dotadas de maior vitalidade e produzirão mais se colocadas ao lado de companheiras da mesma espécie.
A permuta de princípios germinativos assegura-lhes robustez e verdor, garantindo-lhes frutos mais abundantes.
O instrutor espiritual Albério, que nos foi apresentado por André Luiz, no capítulo "estudando a mediunidade" da obra "Nos Domínios da Mediunidade", psicografia de Francisco Cândido Xaveir, numa clara alusão sobre meio ambiente, afirma:
"Cada planeta revoluciona na órbita que lhe é assinalada pelas leis do equilíbrio, sem ultrapassar as linhas da gravitação que lhe dizem respeito".
Nessa linha, Martins Peralva, na obra Estudando a Mediunidade, coloca:
"Os médiuns que desejam enriquecer o coração com os tesouros da fé, a fim de ampliarem os recursos de servir ao Mestre não podem perder de vista o fator 'autoaperfeiçoamento".
Enfim, os médiuns devem nutrir-se com o alimento evangélico tornando-se humildes e bons, devotados e convictos, a fim de que os modestos encargos mediúnicos de hoje sejam, amanhã, transformados em sublimes e redentoras tarefas, sob o patrocínio do Divino Mestre, que nos afirmou ser 'o pão da vida' e a 'luz do mundo".

(Referência: Martins Peralva. Estudando a mediunidade. p. 33-39)

José Artur M. Maruri dos Santos
Colaborador da S.E. Léon Denis e União Espírita Bajeense

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...