ANO: 26 | Nº: 6590
02/07/2020 Segurança

Ventania deixa Bagé e região em alerta

Foto: Divulgação

Colocação de lonas antecipou possibilidade de danos
Colocação de lonas antecipou possibilidade de danos

Apesar da região ter sido um local considerado mais brando de incidência da ventania registrada entre o final de terça-feira e a madrugada de quarta-feira (1º/07), os ventos, em Bagé, atingiram velocidades de 55 a 64 quilômetros por hora, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Caçapava do Sul, por outro lado, registrou 75,6 KM/h.

Conforme o coordenador da Defesa Civil de Bagé, Everton Kaupe, nenhum pedido de socorro foi solicitado pós-vendaval, mas com a previsão de tempo ruim, alguns moradores do bairro Balança, na zona leste, solicitaram auxilio, ainda na tarde do dia 30. “Realizamos um trabalho preventivo, com apoio da Secretaria de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso (Smasi), colocando lonas e deixamos telhas à disposição para eles colocarem depois”, destacou. Kaupe frisou que o trabalho foi realizado, inicialmente, em sete residências. “Levamos cestas básicas para 24 famílias daquela comunidade”, complementou.

De acordo com a assessoria da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), uma das únicas regiões no Rio Grande do Sul que não teve redes atingidas foi a de Bagé, sendo que, desse modo, não foram contabilizados danos. A assessoria de imprensa do Departamento de Água, Arroios e Esgotos de Bagé (DAEB) também não registrou problemas devido ao vendaval. Na área de atendimento da Coopersul, por outro lado, dois problemas foram registrados, segundo a assessoria de imprensa. Um foi o rompimento de um cabo em Candiota e outro foi a queda de poste em Aceguá. Os estragos, contudo, segundo a Cooperativa, haviam sido consertados até o fechamento desta edição.

No RS

No Estado, cerca de 1 mil pessoas e 800 residências foram afetadas por chuva, vento forte e queda de granizo, conforme levantamento divulgado pelo governo do RS. “Estamos atuando, monitorando e acompanhando a situação para reduzir os transtornos causados à população em decorrência do ciclone. Todas as equipes da Defesa Civil estão mobilizadas e, além disso, a CEEE trabalha no restabelecimento da energia elétrica e o Daer (Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem) faz as intervenções necessárias onde há interrupção de rodovias”, detalhou o governador, Eduardo Leite.

Zona Rural

Em comunicado enviado no final da tarde de ontem, a Emater informou que realizou um breve levantamento dos efeitos do temporal e ciclone que atingiram o Estado. De acordo com as informações disponibilizadas até o momento, de modo geral, no meio rural não ocorreram prejuízos significativos para as culturas e criações do Estado. Os prejuízos, de forma bem localizada, foram contabilizados em estruturas afetadas, como galpões, estufas e silos, além de destelhamento de casas. Também ocorreu interrupção do fornecimento de energia elétrica, a qual está sendo restabelecida. O caso de interrupção muito prolongada poderá causar algum prejuízo na produção leiteira.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...