ANO: 26 | Nº: 6590
11/07/2020 Segurança

Campanha Máscara Roxa é lançada na Região Sul do RS

Foto: Reprodução JM

A Campanha Máscara Roxa, que possibilita às mulheres vítimas de violência doméstica fazerem denúncias em farmácias, foi lançada na quinta-feira (9), por videoconferência, no Sul do Estado. A iniciativa é do Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres. A agenda contemplou 39 cidades de abrangência das associações dos municípios da Costa Doce (Acostadoce), da Região da Campanha (Assudoeste) e da Zona Sul (Azonasul).

A reunião foi conduzida pelo deputado estadual Edegar Pretto, que coordena o Comitê. Ele explicou que o objetivo dos lançamentos regionais é motivar diversos setores da sociedade para se engajarem à campanha e ampliar o número de farmácias com adesão. “Queremos que cada município tenha ao menos uma farmácia amiga das mulheres, que possam nos ajudar a salvar vidas”, argumentou.

O parlamentar comentou que há uma constatação mundial do aumento dos casos de violência contra as mulheres neste período de isolamento devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, por conviverem mais tempo em casa com seus agressores, as vítimas têm dificuldades de fazer a denúncia, seja na delegacia, por telefonema ou de forma virtual. Isso também gera uma subnotificação dos casos de violência doméstica.

Por esse motivo, a ONU Mulheres recomendou a seus países criarem políticas que facilitassem a denúncia, envolvendo as farmácias. No RS, o Comitê Gaúcho ElesPorElas organizou a Campanha Máscara Roxa, tornando o estado o primeiro do Brasil a ter essa iniciativa. “É uma campanha para ajudar a tirar as mulheres da condição de violência doméstica. Mesmo em situações de lockdown, as farmácias não fecharão durante a pandemia. Então elas são pontos estratégicos para ajudar com as denúncias, de forma segura e discreta”, afirmou.

O deputado disse que a realidade do RS também motivou a campanha, devido ao aumento de casos de feminicídios durante esse período de isolamento. Ao todo, 28 mulheres foram assassinadas por questões de gênero nos meses de março, abril e maio, conforme dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública. Somente em abril, o aumento foi de 66,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao todo, desde o início do ano, 43 mulheres morreram vítimas de feminicídio no estado.

Como funciona

Lançada no dia 10 de junho no RS, a Campanha Máscara Roxa permite que mulheres vítimas de violência doméstica façam denúncias em farmácias. Ela começou com 600 farmácias, e já são 1.314 unidades de quatro redes envolvidas.

Todas as farmácias com adesão estão com o selo “Farmácia Amiga das Mulheres”, que serve para que as vítimas as identifiquem. Os atendentes receberam capacitação online para o procedimento e para garantir a segurança da vítima. Ao chegar na farmácia a mulher deve pedir a máscara roxa, que é a senha para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Após, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que o órgão tome as medidas necessárias.

Edegar Pretto lembra que qualquer farmácia pode participar da campanha. Segundo ele, o objetivo é envolver também aquelas que não fazem parte de grandes redes, mas que estão em cidades menores. “As farmácias que aderirem prestarão um grande serviço à vida das mulheres, sem cobrar nada, nem pagar nada. Elas não responderão a processos judiciais, pois é garantido o anonimato do estabelecimento e do atendente”, destacou. Interessados devem entrar em contato com o Comitê: 51 991993641 | comite.gaucho.elesporelas@gmail.com

Farmácias Amigas das Mulheres na região

 - Bagé (Farmácia Associadas / Farmácia Sant’ana, da Rede Vida / Farmácia da Estação, da Rede Vida / Farmácia Alves / Medicare Farmácias)

- Caçapava do Sul (Nicola Farmácias)

- Lavras do Sul (Nicola Farmácias)

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...