ANO: 26 | Nº: 6578

Fernando Risch

fegrisch@gmail.com
Escritor
11/07/2020 Fernando Risch (Opinião)

Quase ninguém


Em 1988, Lulu Santos, o hitmaker, lançava seu sexto álbum "Toda Forma de Amor". Nele, uma canção homônima se tornou um dos maiores sucessos do cantor. Não há um ser humano brasileiro, nascido antes ou depois deste álbum, que não saiba a letra de tal música.

Quase na mesma época, um ano depois, eu nascia. E como ser humano brasileiro que sou, também sei cantar "Toda Forma de Amor". A letra me colocou numa situação complexa em casa, paradoxal. Minha mãe sempre me ensinou a nunca desejar mal a ninguém, porque era feio.

Já Karl Popper, quando tive o prazer de conhecê-lo já velho, me ensinou o contrário, que, veja bem, em certas ocasiões, não apenas podemos desejar mal, como devemos. No paradoxo analisado por Popper, se não desejarmos mal a quem faz mal, então o bem vai acabar e só vai restar o mal. É mais ou menos isso, só que com outras palavras, de uma forma bem mais complexa e sem usar "bem" e "mal", mas você entendeu.

Hoje, ainda velho, percebo a genialidade de Lulu, que conseguiu em uma música juntar os conselhos de Ana Luiza Risch e Karl Popper. A Lulu tudo é possível. É como se ele dissesse, não deseje mal, mas dependendo de como for, deseje. Vá entender.

Minha mãe também sempre recitou pra mim "Com quem ferro fere, com ferro será ferido" nas mesmas situações em que me aterrorizava para não desejar mal aos outros. Talvez todos os pais digam isso aos filhos, ou a maioria deles. Na Bíblia, por exemplo, em Mateus 26:52, está escrito: "Jesus lhe ordenou: 'Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada pela espada morrerão!'". É quase a mesma coisa, eu acho. Mas isso pouco importa, é só para constar nos autos deste texto.

Assim, sigo os ensinamentos de Lulu Santos, mas só quando necessário, e para que seja necessário, primeiro deve ser verdade. Aí entra a segunda parte, quando Tremendão tece as teses sociais. Sete anos antes de Lulu e seu estrondoso disco, Erasmo Carlos lançava o álbum "Mulher". Nele, a faixa "Pega na Mentira" é quem grita mais alto.

No dicionário, mentira consta como: 1) ato ou efeito de mentir; engano, falsidade, fraude; 2) hábito de mentir. Mas isso não importa também, é só para constar. O ponto central é que mentir é algo terrível, principalmente em situações capitais, e Erasmo têm poderes especiais de desmascarar fraudes e pôr ao chão os falsários.

Na mesma Bíblia ali de cima, por exemplo, no mesmo Mateus, só que 24:24, está escrito: "Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos". Mas isso também não importa, é só mais um registro necessário.

De qualquer forma, se Erasmo Carlos, em sua sabedoria eterna não gritar seu refrão: "Pega na mentira, pega na mentira. Corta o rabo dela, pisa em cima. Bate nela, pega na mentira", quer dizer então que é verdade; e se for verdade, então entra Lulu Santos, minha mãe e Karl Popper, para que você não deseje mal a quase ninguém. Quase ninguém.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...