ANO: 26 | Nº: 6590
25/07/2020 Cidade

Reunião de prefeitos deve definir recurso à bandeira vermelha neste sábado

Foto: Reprodução JM

Recurso será elaborado por Lara e prefeitos da região neste sábado
Recurso será elaborado por Lara e prefeitos da região neste sábado

Em live realizada na noite de sexta-feira, o prefeito de Bagé, Divaldo Lara, anunciou que pretende apresentar recurso quanto à mudança preliminar de bandeira na 12ª rodada do Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Além disso, adiantou que assim como os demais prefeitos da região, não aceitará os protocolos mais severos destinados aos municípios classificados em alto risco de contaminação.
Lara apontou três itens considerados negativos na macrorregião e na região, que agravaram a situação e pesaram na mudança de status. O primeiro deles é o alto número de contaminados ativos na cidade - até esta noite totalizavam 94 pessoas, quatro delas internadas. O gestor destacou que a grande maioria dos contaminados recentemente anunciados são provenientes de duas linhas de contágio, referentes a festas realizadas há cerca de três semanas na cidade.
O gestor explica que essa situação das contaminações se agrava ainda porque alguns contaminados se recursaram a apontar a linha de contágio, obrigando a equipe de Vigilância Epidemiológica a trabalhar no escuro para fazer o rastreio do contágio e mapeamento de possíveis novos infectados. "Quem está contaminado, com sintomas, precisa dizer a origem do seu contato. A partir do conhecimento da linha, conseguimos isolar e mapear o vírus", destacou o prefeito.
O segundo fator que influenciou a mudança do status apontado por Lara foi um óbito em decorrência de covid-19 ocorrida em Lavras do Sul, mas que teria sido registrada para a região somente nesta semana.
O último ponto agravante é a situação difícil que enfrentam os municípios de Pelotas e Rio Grande, da macrorregião, que ocasionaram reflexo nos índices da região, "puxando" Bagé e os municípios dos arredores na esteira da bandeira vermelha.
Infraestrutura hospitalar em cenário controlado
Mesmo com os 278 casos confirmados na cidade e o alto índice de vírus ativo circulando, ainda é considerada controlada a situação dos hospitais do município. No Hospital Universitário Dr. Mário Araújo, mantido pela Fundação Attila Taborda, não há nenhum leito ocupado por pacientes de covid-19.
Na Santa Casa, 17 pessoas estão em isolamento no leito clínico, quatro delas com confirmação do vírus e 13 suspeitos. Na UTI há três casos suspeitos de Bagé e dois confirmados, sendo um de Camaquã e um de Rio Grande.
Lara apontou que a baixa ocupação dos leitos é um fator positivo para os bajeenses e adiantou que deve ser um dos argumentos utilizados no recurso que será enviado para o Governo do Estado. "A taxa de ocupação de confirmados é de 12.2% - um excelente fator e média de leitos que nos permite garantir a continuidade de nosso trabalho", disse.
Inclusive, o recurso será abordado em reuniões na manhã deste sábado, reunindo gestores municipais da região e o comitê de crise de Bagé para elaboração do recurso que será enviado para o Governo do Estado. "Bagé vai recorrer. Bagé não aceita bandeira vermelha", declarou.
O prefeito acalmou o setor terciário, formado por comércios e serviços, garantindo que os empresários devem manter suas programações normais e a continuidade dos trabalhos, dentro dos protocolos de segurança, já que, segundo ele, não existe contaminações provenientes destes segmentos. "Podem manter as atividades porque a equipe de governo vai lutar para que a região retorne à bandeira laranja".

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...