ANO: 26 | Nº: 6588
26/07/2020 Região

Prefeito de Candiota pretende acatar a bandeira vermelha apresentada pelo Estado

Foto: Arquivo JM

“Nós defendemos o isolamento”, disse Adriano
“Nós defendemos o isolamento”, disse Adriano

Preocupado com a situação que vive o município de Candiota, o prefeito Adriano Castro dos Santos afirma que irá acatar a bandeira vermelha apresentada pelo Estado no Mapa Preliminar da 12ª rodada do Distanciamento Controlado. O chefe do executivo candiotense relata que os casos em Candiota estão aumentando e a única forma de conter a epidemia é realizando um "mini lockdown".
O posicionamento de Santos vai num caminho diferente dos demais gestores da região que, no sábado, em encontro virtual, decidiram apresentar recurso ao governo gaúcho para que a bandeira retorne para laranja, que representa risco médio para contaminação pelo coronavírus. Hulha Negra ainda não apresentou posição quanto a questão.
O prefeito argumenta que, somente no sábado, foram realizado 39 testes e se não houver o distanciamento, os números tendem a aumentar. Ele adianta que será realizada uma blitz geral no município, fiscalizando alvarás e que os agentes de saúde realizam constantemente a fiscalização e encontram várias pessoas sem máscara. “Nós defendemos o isolamento”, disse.
Com a bandeira vermelha, somente estabelecimentos que vendem itens essenciais podem se manter abertos, mantendo 50% dos trabalhadores de seu quadro. Os demais locais de comércio devem ficar fechados. Restaurantes e lancherias ficam proibidos de receber clientes no local, mas podem atender em sistema de tele-entrega, drive-thru e pegue e leve (take away). Também é permitido o acesso a farmácias, lavanderias e supermercados, que podem operar com apenas 25% dos funcionários. As demais operações devem permanecer fechadas, sem circulação de pessoas. As aulas devem ser mantidas de forma remota. Cursos livres, cujo funcionamento seria permitido, com respeito às medidas sanitárias, devem permanecer fechados, assim como escolas de ensino infantil, fundamental e médio e universidades.
Academias, missas e serviços religiosos, clubes sociais e esportivos (mesmo que com atendimento individual), e serviços de higiene pessoal, como cabeleireiro e barbeiro, por exemplo, passam   a ser totalmente vedados.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...