ANO: 26 | Nº: 6590
01/08/2020 Fogo cruzado

Bagé na rota dos presidentes

Foto: Fototeca Túlio Lopes/Museu Dom Diogo de Souza

Vargas visitou Bagé pela primeira vez, em agenda oficial, em 1943, retornando, em outras agendas, na década de 1950
Vargas visitou Bagé pela primeira vez, em agenda oficial, em 1943, retornando, em outras agendas, na década de 1950

Bolsonaro não é o primeiro presidente a cumprir agenda oficial, em Bagé. Getúlio Vargas, João Goulart, Castello Branco, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel, João Batista Figueiredo e Luiz Inácio Lula da Silva também visitaram a cidade, no exercício do cargo. Outros presidentes visitaram Bagé antes de assumir mandato, a exemplo de Eurico Gaspar Dutra, em 1943, e alguns estiveram na cidade após deixar a presidência, a exemplo de Dilma Rousseff, em 2018. As fotos de todas as visitas oficiais integram o acervo da Fototeca Túlio Lopes, do Museu Dom Diogo de Souza, mantido pela Fundação Attila Taborda (Fat/Urcamp).


Getúlio Vargas
O presidente Vargas visitou Bagé, pela primeira vez, no dia 11 de outubro de 1943. Em discurso improvisado, durante a Expofeira, disse que 'desejava há muito conhecer Bagé'. “Ocupando larga e fértil faixa fronteiriça, com características próprias, a terra e a gente bajeenses sempre me mereceram espontânea e sincera simpatia”, pontuou. Vargas retornaria à cidade em 1950, em campanha eleitoral, quando disse que “Bagé é terra dos homens valentes e das mulheres belas”, e, em 1953, novamente em agenda oficial, como presidente.


João Goulart
O presidente João Goulart (Jango) esteve em Bagé no dia 22 de dezembro de 1961, para a inauguração da Candiota I. “A inauguração da usina termelétrica de Candiota, antiga e sentida aspiração das populações desta região do Estado, representa importante contribuição para o desenvolvimento de extensa área da zona sul, compreendendo, numa etapa inicial do seu programa, os municípios de Bagé, Rio Grande, Pelotas e Arroio Grande. A segunda fase da usina compreenderá os municípios de Jaguarão, Herval e Piratini, além de Dom Pedrito. Assim, cidades de grande importância para a economia rio-grandense receberão os benefícios de novas fontes de energia, indispensáveis ao seu progresso”, detalhou.


Castello Branco

O primeiro presidente do período da ditadura militar esteve em Bagé no dia 10 de outubro de 1965. A agenda oficial do marechal Humberto de Alencar Castello Branco incluiu uma visita à Expofeira e ao então Quartel General da Terceira Divisão de Cavalaria. “Há preocupações, nos meios militares, quanto ao destino do Brasil. Eu, também, as tenho, e não procuro transformá-las em fonte de agitação e, muito menos, em um motivo para protelar decisões. Para se combater o perigo comunista, não se pode vestir a nação com a camisa de força do nazismo, maltratando os brasileiros através de um regime em que alguns civis desejam segurar no copo da espada dos militares para, ditatorialmente, passar a lâmina nos patrícios que contrariam as suas ambições”, explanou, aos militares.


Emílio Garrastazu Médici
Médici visitou Bagé em diferentes oportunidades. No dia 3 de março de 1970, após ato de inauguração da estátua de Gaspar Silveira Martins, no centro da cidade, o presidente proferiu seu primeiro discurso oficial na Rainha da Fronteira. “Esta visita não deve ser interpretada como um retorno sentimental do presidente da República à sua cidade de origem. Na verdade, não estou voltando à minha terra natal para assinalar ou medir o longo caminho percorrido desde a infância até o ápice de uma carreira pública, que os acontecimentos fizeram ir além de meus desejos e ambições. Não se trata de uma volta porque jamais me afastei de Bagé”, disse.


Ernesto Geisel
O general Geisel visitou Bagé no dia 12 de outubro de 1975. A agenda incluiu a abertura oficial da Expofeira. O presidente foi recebido pelo prefeito Camilo Moreira e, antes da reunião na prefeitura, que foi fechada, sem a presença da imprensa e sem registro de discurso oficial, Geisel quebrou o protocolo organizado pela equipe que coordenava a visita, abraçando populares que o aguardavam na avenida General Osório. Da sacada da prefeitura, em outro ato improvisado, o presidente acompanhou um desfile de cavalarianos, organizado pelo Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Prenda Minha.


João Baptista Figueiredo
O último presidente do período da ditadura militar visitou Bagé no dia 13 de maio de 1983. Em discurso proferido no Ginásio Presidente Médici, João Baptista Figueiredo agradeceu ao prefeito Carlos Sá Azambuja (Guanaco) e aos bajeenses, pela recepção calorosa. “Só por estes momentos que aqui passei, os sacrifícios, as desilusões, as injustiças, as tristezas, por que tenho passado com estes quatro anos de governo, só por esses poucos momentos de alegria e emoção, que o povo de Bagé me proporcionou, as decepções e as desilusões que sofri durante o meu governo, foram bem recompensadas”, disse.


Luiz Inácio Lula da Silva
Lula esteve em Bagé no dia 27 de julho de 2005. O presidente visitou refeitórios do programa Fome Zero na Educação, instalados em escolas da cidade, antes de discursar em palanque montado na Avenida Sete de Setembro, quando anunciou a criação da Universidade Federal do Pampa (Unipampa). “Tenho dito que o nosso governo está fazendo uma revolução na educação brasileira. Uma revolução que, aos poucos, vem sendo reconhecida pelo nosso povo. Nos últimos 30 meses temos feito grandes investimentos na educação. E esta é, sem dúvida, uma excelente maneira de empregar os recursos públicos em benefício da totalidade da sociedade”, definiu.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...