ANO: 26 | Nº: 6555
01/08/2020 Cidade

De bajeense para Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Empreendimentos erguidos pela empresa Dallé Construtora levam a marca em sua estrutura
Empreendimentos erguidos pela empresa Dallé Construtora levam a marca em sua estrutura

Nos últimos anos, mais de duas mil famílias bajeenses tiveram a oportunidade de realizar o sonho da casa própria através dos imóveis construídos pela Dallé Construtora. E até 2022, esse número deve quase dobrar com mais quatro empreendimentos para a cidade.
Além de ter sido responsável pela construção de alguns dos últimos residenciais do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, como o Sagrada Família e Nossa Senhora Auxiliadora, que está em processo de entrega de chaves neste final de semana - após iniciar durante a visita do presidente Jair Bolsonaro -, a empresa também buscou credenciamento junto aos órgãos competentes para disponibilizar imóveis voltados para as faixas 1, 1,5 e 2 através de financiamentos facilitados pela Caixa. O diretor geral da construtora, Luís Fernando Dalé, conta que o investimento da construtora em empreendimentos populares foi uma saída para contornar a crise, que teve início em 2016. "Foi a nossa grande sacada quando veio a crise. Tomamos a medida adequada no momento certo, redirecionando as linhas de produção para imóveis populares. Sabíamos que não adiantaria investir em imóveis de alto nível naquele momento", relembrou.
O empresário adianta que, com a vinda da comitiva presidencial, que inclui o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, aproveitou para apresentar cinco novos empreendimentos na cidade. Um deles é o já conhecido projeto do Hotel Angus, que ainda está em processo de busca por financiamento. Outros são dois empreendimentos voltados para faixas 1,5 e 2 e mais dois empreendimentos voltados para a faixa 1, que, inclusive, já contam com projeto aprovado pela Prefeitura. "Agora, aguardamos a liberação das verbas", adianta.
A intenção do empresário é lançar os novos empreendimentos até o final deste ano e garantir a construção de 1,5 mil unidades residenciais até 2022. Além disso, também devem ser apresentados projetos de dois imóveis em Dom Pedrito e quatro em Sant'Ana do Livramento. A projeção é de que sejam investidos R$ 120 milhões nas novas obras, com emprego de 100 funcionários por construção.
E a busca por financiamento para os empreendimentos poderá ganhar um aliado em breve. Dalé explica que a construtora busca obter, junto à Caixa, o Selo Casa Azul, que é um instrumento de classificação socioambiental destinado a propostas de empreendimentos habitacionais que adotem soluções eficientes na concepção, execução, uso, ocupação e manutenção das edificações.
A adesão ao programa é voluntária e são elegíveis projetos novos em fase de análise ou já analisados e contratados, desde que a obra ainda não tenha sido iniciada. Caso o projeto atenda aos critérios exigidos, o proponente recebe o certificado e a Caixa verificará, durante o acompanhamento da obra, se o empreendimento será executado conforme o projeto certificado. "Esse selo nos dará enormes benefícios em termos de agilidade e velocidade na aprovação dos financiamentos. É uma distinção da Caixa para privilegiar as construtoras mais corretas", explica ele.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...