ANO: 26 | Nº: 6590
10/09/2020 Segurança

Investigação busca solucionar furtos ocorridos no Castelo de Pedras Altas

Foto: Arquivo JM

Casos ocorreram entre fevereiro e outubro do ano passado
Casos ocorreram entre fevereiro e outubro do ano passado

A Delegacia de Pinheiro Machado ainda trabalha em um inquérito, que está aberto, para solucionar os furtos ocorridos no Castelo de Pedras Altas, da família de Assis Brasil. De acordo com a delegada titular de Pinheiro Machado, Carolina Terres, alguns furtos ocorreram há tempos. “Não se descobriu a autoria. O Castelo está meio 'abandonado' pelos proprietários, que não o guardam, não vão lá, pelo que se tem conhecimento”, apontou.

De acordo com os boletins de ocorrência de 15 de fevereiro e 18 de outubro de 2019, foram levados, do acervo histórico do local, várias medalhas do móvel, da sala de piano, uma arma de fogo artesanal prateada, uma cuia de chimarrão com bocal de prata, uma bomba de chimarrão de prata, uma espada, um martelo de batalha medieval, um clavo de batalha medieval, um microscópio pequeno, cor branca, um microscópio de análise veterinária, uma jarra de prata, contendo um champanhe com nome de Assis Brasil, uma estátua de biscuit, um sino de prata, uma caixa com tampa de vidro, com diversos medalhões, uma cartola, um chapéu coco, uma abelha de vidro e prata (presente de Zeca Neto), um relógio de parede, um berrante, uma espada do Uniforme de Embaixador Assis Brasil, um conjunto de medalhas pertencentes a Joaquim de Assis Brasil, um relógio de cabeceira em tom verde, um abridor de livros Chinês com cabo vermelho em forma de adaga, uma caixa de madeira com tampa de vidro cristal, com medalhas grandes e uma delas de Paris/França, outra garrafa de champanhe com inscrição do nome Assis Brasil de 1894 e um porta garrafas de prata, renda, um biscuit em forma de Anjo.

O policial civil responsável pela investigação ainda salienta que, em 2017, alguns indivíduos acessaram o cemitério da Granja Assis Brasil e arrombaram portões da capela, de onde alguns objetos foram danificados. No dia 1º de julho de 2019, ocorreu um arrombamento de três janelas e fechaduras.

Ainda, segundo a investigação, a polícia tem efetivo mínimo para cuidar da segurança do local. Foram cumpridos mandados em casas de suspeitos, mas não foram encontrados objetos. Isso em Pedras Altas. A polícia ainda ressalta que foi pedido para uma das herdeiras as fotografias dos itens furtados, que eles têm em catálogo. O objetivo é averiguar se algum antiquário teria adquirido o item, pois esses tipos de materiais são vendidos para grupos específicos, por ter valor histórico.


 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...