ANO: 26 | Nº: 6588
29/09/2020 Fogo cruzado

Candidaturas femininas aumentam, mas ainda são minoria em Bagé

Foto: Jornal Minuano

Homem branco com mais de 40 anos. Este é o perfil da maioria dos candidatos bajeenses ao pleito de novembro. As estatísticas divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam no sentido de um pequeno aumento no número de candidaturas femininas, na comparação com o pleito de 2016. Mas elas ainda representam a minoria entre os postulantes.
Dezoito partidos formalizaram 270 pedidos de registros de candidaturas, em 2020, superando em 62 o número de candidatos registrados no último pleito municipal, quando 20 partidos estavam na corrida eleitoral. As mulheres estão presentes nas chapas majoritárias, mas apenas como candidatas à vice-prefeita.
Bagé tem 14 postulantes ao Executivo (entre candidatos a prefeito e vice) e 256 candidatos às 17 vagas da Câmara de Vereadores, em uma proporção de 15 candidatos por cadeira. Este número pode mudar, tendo em vista que os registros de candidaturas ainda serão julgados pela Justiça Eleitoral, podendo ser deferidos ou indeferidos.


Escolaridade
Os dados oficiais do TSE revelam que 92 candidatos a cargos eletivos, em Bagé, têm ensino médio completo, o que equivale a 34,07% do total. Apenas 77, o equivalente 28,52%, têm curso superior completo, enquanto 35 (12,96%) têm curso superior incompleto. Vinte e três candidatos (o que representa 8,52% do total) têm ensino fundamental incompleto, enquanto 20 (7,41%) têm ensino médio incompleto. Dezesseis postulantes têm ensino fundamental completo (5,93%) e sete sabem ler e escrever (2,59%).


Faixa etária
Um candidato bajeense tem 81 anos, enquanto sete têm idades entre 70 e 74 anos, 16 têm entre 65 e 69 anos e 31 entre 60 e 64 anos. Os jovens são minoria. Apenas três candidatos têm 20 anos, nove têm idades entre 21 e 24 anos, enquanto 12 têm entre 25 e 29 anos e 15 entre 30 e 34 anos.
A maioria dos candidatos têm idades entre 35 e 59 anos. Vinte e dois têm entre 35 e 39 anos, enquanto 43 têm 40 e 44 anos e 41 têm entre 45 a 49 anos. De acordo com as estatísticas do TSE, 38 candidatos têm entre 50 e 54 anos e 32 têm entre 55 e 59 anos.
Pouco mais de 18% dos homens têm idades entre 50 e 54 anos, representando a maioria dos candidatos bajeenses. Entre as mulheres, 21 têm idades entre 44 e 44 anos, representando 24,14% das candidaturas femininas.


Em minoria
A corrida eleitoral deste ano ultrapassou a meta da cota de gênero, que prevê o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo. Com 87 candidatas, as mulheres representam 32,2%.
O número de mulheres é superior ao pleito de 2016, quando 65 candidatas disputaram as eleições (31,3% do total), e também é superior a 2012, quando 78 candidaturas femininas foram registradas.
Negros também estão em minoria entre os postulantes. De acordo com o TSE, 218 candidatos bajeenses se declaram brancos (80,74%), enquanto 32 se declaram pretos (11,85%) e 20 pardos (7,41%).
A representatividade é pequena, mas aumentou, na comparação com 2016, quando 17 candidatos se declararam pretos (8,17%), 12 pardos (5,77%) e 179 brancos (86,06%).


Ocupações variadas
O perfil profissional dos candidatos bajeenses é variado. Os empresários, entretanto, representam a maioria: 20 (7,41%). O pleito mobiliza 17 servidores públicos municipais (número que representa 6,3% dos candidatos), 13 donas de casa (3,33%) e oito advogados (2,96%).
Nove vereadores que disputam a reeleição declararam o cargo como ocupação. Apenas dois parlamentares, aliás, não disputam reeleição em 2020: Sonia Leite, do Progressistas, e Jeferson Dutra, do Partido Social Cristão (PSC).
Aposentados, comerciantes, eletricistas, enfermeiros, agricultores, motoristas, músicos, médicos, estudantes, professores, locutores de rádio, militares reformados, médicos, vendedores, técnicos de enfermagem, contadores e psicólogos estão na disputa.
Agrônomo, alfaiate, arquiteto, atendente de lanchonete, atleta profissional, ator, auxiliar de escritório, Bombeiro Militar, cabeleireiro, cantor, carpinteiro, catador de recicláveis, comerciário, coreógrafo, deputado, empregado doméstico, farmacêutico e faxineiro também estão entre as ocupações declaradas. A lista ainda tem fisioterapeuta, fotógrafo, leiturista, manicure, mecânico, motoboy, nutricionista, publicitário, taxista, trabalhador de Construção Civil, veterinário e vigilante.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...