ANO: 23 | Nº: 5813

Luiz Fernando Mainardi

luiz.mainardi@al.rs.gov.br
Deputado Estadual
08/04/2017 Luiz Fernando Mainardi (Opinião)

Camaquã, rio que te quero vivo

O Rio Camaquã é uma joia do bioma Pampa. Não vamos trocá-lo por metais pesados que enriquecerão multinacionais e serão usufruídos por outros países. O projeto de mineração no Camaquã coloca em risco o equilíbrio ambiental do bioma mais importante da região sul do Brasil.

Muito além do valor ambiental e do potencial turístico do Alto Camaquã, a região conta com um plano de desenvolvimento que valoriza o que é produzido de forma sustentável, do artesanato à criação pastoril.

Não se trata de uma oposição de princípio a empreendimentos de mineração, mas um desacordo com este projeto especificamente. Ele, o projeto Caçapava, que pretende instalar uma mina de cobre, zinco e chumbo às margens do Rio Camaquã, além de todos os riscos ambientais inerentes, pode mudar completamente a economia e os contornos geológicos da região, tornando as belezas naturais em buracos a céu aberto e destruindo o esforço de mais de uma década dos produtores e moradores locais em criar uma marca internacionalmente reconhecida.

No passado, a região já sofreu com resíduos de mineração, que causaram poluição, único legado deixado após o período determinado de exploração. Estes projetos não são sustentáveis, não são permanentes e têm uma característica claramente espoliadora, que explora as riquezas de nosso subsolo sem distribuí-las entre os moradores. Ao final, muito dinheiro para eles e resíduos poluidores e pobreza para todos nós. 

O Camaquã não é apenas um patrimônio regional. Mantê-lo vivo é um compromisso de todos que lutam por um desenvolvimento sustentável, que valoriza as pessoas mais do que o lucro, que valoriza o meio ambiente – que é uma riqueza de todos –, mais do que o dinheiro, que se concretiza como uma riqueza de poucos.

Estão em questão nesta luta valores que são definitivos para escolhermos o futuro que desejamos. A defesa do Camaquã vivo é uma luta universal, baseada na ideia da sustentabilidade, mais do que uma palavra, um conceito que precisa se concretizar em atos e decisões governamentais.  

Vamos resistir! Vamos desenvolver de forma sustentável nossa região. Viva o Camaquã!

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...