ANO: 23 | Nº: 5764
21/04/2017 Cidade

Projeto de Geoparque contempla parte da área que pode abrigar mina de chumbo

Foto: Divulgação

Região e reconhecida  pela concentração de rochas metamórficas, plutônicas, vulcânicas e sedimentares
Região e reconhecida pela concentração de rochas metamórficas, plutônicas, vulcânicas e sedimentares

Uma proposta focada na preservação do patrimônio geológico, que abrange quase totalidade do território de Caçapava do Sul, e parcialmente as cidades de Bagé, Lavras do Sul e Santana da Boa Vista, começa a ganhar forma com o apoio de universidades. Denominado Geoparque Guaritas-Minas do Camaquã, o parque geográfico visa explorar o potencial turístico em uma área de 2,8 mil quilômetros quadrados, contemplando o local que pode abrigar o projeto de mineração de cobre, zinco e chumbo, da Votorantim Metais e Iamgold Brasil.

A proposta de criação é antiga, no município de Caçapava do Sul, porém, tem recebido atenção especial da prefeitura desde o início do ano. Na semana passada, uma equipe de professores e estudantes da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) e da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) realizaram um levantamento dos morros do município. O objetivo do estudo foi averiguar os possíveis locais que receberão as intervenções que serão realizadas em parceria para fomento do geoturismo.

Para o secretário de Cultura e Turismo de Caçapava do Sul, Leandro dos Santos Bazotti, a região é reconhecida por sua rica e complexa geologia, com concentração de rochas metamórficas, plutônicas, vulcânicas e sedimentares e o projeto irá auxiliar no desenvolvimento econômico, cultural, social do município.

Bazotti conta que o projeto está em andamento e os próximos passos serão a identificação das áreas e a implantação de mirantes em locais demarcados. Ele conta que o material já está sendo confeccionado. O secretário destaca que as placas serão implantadas na Pedra do Segredo, Guaritas e em Minas do Camaquã.

De acordo com Bazotti, o projeto de exploração de chumbo não interfere na criação do parque. Ele salienta que existem outros empreendimentos de mineração no país, que têm espaço para o turismo, e o mesmo poderá acontecer caso haja a aprovação do projeto da Votorantim.

 

Apropriação

O secretário pretende realizar atividades com a rede escolar, produtores rurais além de promover visitações nas áreas para que a população de Caçapava do Sul conheça suas próprias riquezas. “Precisamos nos apropriar do conceito de Geoparque que abrange vários setores”, diz.  

 

Conceito

Conforme a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o  geoparque é um território de limites bem definidos, com uma área suficientemente grande para servir de apoio ao desenvolvimento sócio-econômico local. A estrutura deve abranger um determinado número de sítios geológicos de relevo ou um mosaico de entidades geológicas de especial importância científica, raridade e beleza, que seja representativa de uma região e da sua história geológica, eventos e processos. Poderá possuir não só significado geológico, como também ao nível da ecologia, arqueologia, história e cultura.

Para qualificar um geoparque é necessário ter um plano de gestão destinados a promover o desenvolvimento sócio-econômico sustentável (mais provavelmente baseado em agroturismo e geoturismo). Também é preciso demonstrar métodos de conservação e valorização do patrimônio geológico e fornecer os meios para o ensino de disciplinas geocientíficas e mais ampla das questões ambientais.

Ter propostas conjuntas apresentadas por autoridades públicas, comunidades locais e interesses privados agindo em conjunto, o que demonstra as melhores práticas com relação a Terra e a conservação do patrimônio e a sua integração no desenvolvimento sustentável estratégico.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...