MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Segurança

Suspeito de matar jornalista bajeense nega autoria do homicídio

Publicada em 20/05/2017
Suspeito de matar jornalista bajeense nega autoria do homicídio | Segurança | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Homem era conhecido de Tagliene e aparece nas imagens junto a vítima

 

Foi ouvido ontem, pela manhã, o suspeito de ter matado o jornalista Tagliene Padilha da Cruz (Tagli), 33 anos, na noite do dia 23 de abril deste ano. O crime aconteceu no apartamento do bajeense, na avenida João Pessoa, bairro Farroupilha, em Porto Alegre.

A titular da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DPHPP), delegada Roberta Mariana Bertoldo, foi até o presídio onde o suspeito, de 25 anos, está preso temporariamente, para ouvi-lo. “Como eu já achava, ele falou novamente que não cometeu o crime e que não foi ele o autor”, disse a delegada.

Roberta informou que agora irá concluir o inquérito até o final do mês, pois ainda aguarda alguns laudos dos exames que estão no Instituto Geral de Perícias. “Iremos aguardar esses resultados dos exames periciais, mas nada mudará a linha do inquérito”, explicou.

De acordo com a policial, o suspeito está preso, temporariamente, durante 30 dias, à disposição da polícia. “Com certeza irei representar por uma prisão preventiva, então ao findar do prazo da temporária poderá ser revertida a preventiva”, declarou.

No dia 23 de abril, Tagli foi assassinado em seu apartamento. No dia 24, amigos e colegas sentiram a falta do jornalista. Com uma chave reserva, eles abriram o apartamento e o encontraram morto, em cima da cama, enrolado em um edredom.

O Instituto Médico Legal, em laudo preliminar, determinou que a causa da morte foi por asfixia/estrangulamento.

Galeria de Imagens
Leia também em Segurança
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br