MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Segurança

DNA do suspeito de ter matado jornalista é encontrado em objetos da vítima

Publicada em 23/05/2017
DNA do suspeito de ter matado jornalista é encontrado em objetos da vítima | Segurança | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Polícia divulgou imagens do caso

O Instituto Geral de Perícias entregou, na manhã de ontem, o laudo pericial com o resultado positivo do DNA do suspeito da morte do jornalista bajeense Tagliene Padilha da Cruz (Tagli), 33 anos. A informação é da titular da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP), delegada Roberta Mariana Bertoldo da Silva.

De acordo com a policial, os peritos informaram no laudo que, com a coleta de material em um copo e também nas baganas de cigarro, foi encontrado o material genético do suspeito. “Agora, até o final da semana, irei representar por uma prisão preventiva, onde o Ministério Público analisa e denuncia e então passa ao poder judiciário para expedir ou não a prisão. Ainda me faltam alguns laudos, mas até o final do mês estarei entregando o inquérito”, garante a policial.

Roberta frisa que esta foi apenas uma comprovação da linha de investigação. “Já tínhamos as imagens do suspeito; agora, com a comprovação do DNA dele, estamos no final da investigação. Ele está detido no Presídio Central em Porto Alegre, temporariamente, por 30 dias”, pontua.

Em depoimento, na sexta-feira passada, o suspeito negou a autoria do crime. A delegada foi até o presídio onde ele está preso para ouvi-lo. “Como eu já achava, ele falou novamente que não cometeu o crime e que não foi ele o autor”, disse a policial.

No dia 23 de abril, Tagli foi assassinado em seu apartamento, na avenida João Pessoa, bairro Farroupilha, em Porto Alegre. Após sentirem a ausência do jornalista, amigos abriram o imóvel com uma chave reserva e o encontraram morto, em cima da cama, enrolado em um edredom.

O Instituto Médico Legal, em laudo preliminar, determinou que a causa da morte foi por asfixia/estrangulamento.

 

 

 

Galeria de Imagens
Leia também em Segurança
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

plantao@jornalminuano.online
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

comercial@jornalminuano.online
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

central@jornalminuano.online