MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Cidade

Ativistas realizam passeata a favor da preservação do Rio Camaquã

Publicada em 23/09/2017
Ativistas realizam passeata a favor da preservação do Rio Camaquã | Cidade | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Manifestantes já se reuniram duas vezes às margens do rio

O grupo de União Pela Preservação do Camaquã está organizando uma passeata em defesa do rio e do pampa gaúcho, em Porto Alegre. O evento será realizado no dia 6 de outubro, às 16h, com concentração em frente ao auditório da faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), após um seminário sobre a preservação do bioma e prejuízos causados ao meio ambiente pela mineração.
Segundo a integrante do grupo, Márcia Colares, os integrantes já tinham a intenção de organizar uma ação na capital gaúcha. Com a realização do seminário sobre o assunto, que contará com palestras de seus integrantes, a organização aproveitou a oportunidade para organizar uma manifestação de caráter pacífico.
A União é contra o projeto da instalação, pela Votorantim Metais, de uma mineradora de zinco, cobre e chumbo, às margens do Rio Camaquã. O assunto tem gerado diversas discussões em relação aos prejuízos que a obra poderá causar ao meio ambiente da região banhada pela bacia hidrográfica do manancial, que abrange 28 municípios.
A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) estabeleceu que a empresa tem até o dia 23 de fevereiro para apresentar todas as informações sobre a instalação da mina. Márcia informa que os manifestantes não interromperam a mobilização contrária, mantendo um cronograma de atividades, como palestras e debates, em todo o Estado.
Até o momento, as margens do Rio Camaquã foram palco de dois eventos contra a construção da mineradora. O primeiro, em novembro do ano passado, reuniu cerca de 400 pessoas, o segundo, em abril deste ano, contou com cerca de 600 participantes. Também ocorreram cinco audiências públicas convocadas pela Fepam, uma pela Assembleia Legislativa e diversas audiências requisitadas pelos municípios da região.

Galeria de Imagens
Leia também em Cidade
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br