MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Fogo Cruzado

Bagé integra ranking das 20 maiores receitas municipais do Rio Grande do Sul

Publicada em 21/06/2018
Bagé integra ranking das 20 maiores receitas municipais do Rio Grande do Sul | Fogo Cruzado | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Prefeitura totalizou R$ 10.102.132,39 com receita de serviços em 2017

Com uma receita de R$ 321.759.221,57, a prefeitura de Bagé encerrou 2017 na lista das maiores arrecadações no Rio Grande do Sul, ocupando a 18ª colocação estadual – que elenca 497 prefeituras. A cidade integra a lista das 50 maiores receitas da Região Sul (que inclui municípios gaúchos, catarinenses e paranaenses) e a 222ª posição nacional.
O ranking gaúcho, divulgado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), é liderado por Porto Alegre, com uma receita de R$ 6.182.352.945,57; Caxias do Sul, com R$ 1.810.877.545,17; Canoas, com R$ 1.568.344.589,62; Pelotas, com R$ 930.533.257,62; e Novo Hamburgo, com R$ 872.428.849,04. Curitiba, capital do Paraná, lidera o ranking da região Sul, com R$ 8.320.476.053,60. O ranking nacional é encabeçado por São Paulo, que totalizou uma receita de R$ 51.768.085.786,03 em 2017.


Tributos 
O levantamento da FNP revela que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) foi o que registrou melhor desempenho entre as receitas bajeenses, chegando a R$ 17.633.429,29 (a 16ª maior do Estado), superando o montante registrado em 2016 em pouco mais de R$ 1,7 milhão. A arrecadação do Imposto Sobre Serviço (ISS) atingiu o patamar de R$ 13.458.496,03, superando em aproximadamente R$ 1 milhão o montante alcançado por Bagé no ano anterior. O Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), porém, contabilizou queda, totalizando R$ 5.590.695,16, (20º maior do Estado) cerca de R$ 1,2 milhão a menos, no comparativo com 2016. A receita tributária também reduziu, de R$ 77.395.252,91 para R$ 72.781.270,28.


Serviços lideram
No ano passado, Bagé totalizou R$ 10.102.132,39 com receita de serviços, a sétima maior arrecadação do Rio Grande do Sul, perdendo apenas para Porto Alegre (R$ 589.440.873,28), Caxias do Sul (R$ 208.351.468,22), Ijuí (R$ 85.617.385,61), São Leopoldo (R$ 81.876.964,64), Pelotas (R$ 74.523.112,39) e Novo Hamburgo (R$ 63.647.659,41).


Contexto regional
Candiota, que registrou receita de R$ 56.162.616,40, em 2017, ocupa a 108ª posição do ranking estadual, à frente de Aceguá, na colocação 221, com uma receita de R$ 22.616.236,14; e de Hulha Negra, 227ª receita do Estado, totalizando R$ 22.332.507,18. Dom Pedrito ocupa a 58ª colocação, com R$ 116.273.808,14. Lavras do Sul, com R$ 35.902.919,61, ocupa a 145ª posição entre os municípios gaúchos.

Galeria de Imagens
Leia também em Fogo Cruzado
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

plantao@jornalminuano.online
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

comercial@jornalminuano.online
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

central@jornalminuano.online