MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Segurança

Cinco são denunciados por apropriação de valores da compra de jazigos em cemitério de Dom Pedrito

Publicada em 19/12/2019
Cinco são denunciados por apropriação de valores da compra de jazigos em cemitério de Dom Pedrito | Segurança | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Pelo menos 50 pessoas foram vítimas

O Ministério Público apresentou, na terça-feira passada, denúncia contra cinco funcionários da Prefeitura de Dom Pedrito que se apropriaram de R$ 67 mil (R$ 110 em valores atuais) provenientes da venda de dezenas de jazigos do cemitério municipal da cidade.
Pelo menos 50 pessoas teriam sido vítimas do esquema, implantado a partir de 2016 na cidade. A denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Francisco Saldanha Lauenstein, aponta cinco acusados são responsáveis pelo crime de peculato por 43 vezes. Também foi denunciada uma pessoa por falso testemunho.
Conforme a denúncia, os funcionários negociavam a venda de jazigos, recebiam o pagamento referente às compras e, em vez de encaminharem os valores para o município, se apropriavam do dinheiro. Em alguns casos, os denunciados entregavam, inclusive, recibos falsos com autenticação fraudada da tesouraria. "Houve falsificação do livro registro do cemitério para apontar a morte de pessoas que, na realidade, estão vivas e inclusive deram depoimento ao MP. A intenção, com isso, era vender suas catacumbas sem a necessidade de suas anuências. Um desses casos é referente ao marido de uma das denunciadas", frisa texto emitido à imprensa pelo Ministério Público.
De acordo com o promotor de Justiça Francisco Saldanha Lauenstein, apesar da apropriação dos valores, as aquisições têm valor jurídico e, portanto, aquelas pessoas que compraram os jazigos não correm o risco de perder as propriedades.

Galeria de Imagens
Leia também em Segurança
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

plantao@jornalminuano.online
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

comercial@jornalminuano.online
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

central@jornalminuano.online