MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Urcamp

Drones chegam nas lavouras da região para transformar o setor produtivo

Em 29/11/2020 às 20:01h

por Redação JM

Drones chegam nas lavouras da região para transformar o setor produtivo | Urcamp | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
São cerca de 1,4 mil aparelhos utilizados na agropecuária no Brasil | Foto: Yuri Cougo Dias

por Filipe Torres Pérez

Acadêmico de Jornalismo da Urcamp

 

Nas últimas décadas, o setor primário vem sofrendo diversas, rápidas e emergentes mudanças, tornando a atividade ainda mais competitiva. No caso da Campanha Gaúcha, um dos focos das recentes transformações consiste na implantação da agricultura de precisão, como forma de tornar a produção não apenas maior, mas mais rentável. E um destes movimentos utiliza algo até pouco tempo, talvez, não imaginado: o uso de drones junto às lavouras.

Hoje, no país, para se ter uma ideia, há 78 mil drones cadastrados junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) - que autoriza o uso do equipamento. Destes, no total, 1.400 são utilizados na agropecuária e 35% somente voltados para agricultura.

Na lavoura, o equipamento serve para uma série de serviços, seja para a análise da plantação, demarcação de plantio, acompanhamento no desenvolvimento da safra e pastagem, pulverização, monitorar o desmatamento, achar nascentes de água, descobrir onde abrir estradas, vigilância, encontrar focos de incêndio, telemetria, tocar e contar o gado e, ainda, buscar  animais perdidos.

Um exemplo desta nova realidade é Luiz Enrique Pacheco Corrêa, engenheiro agrônomo e proprietário da Ambiental Consultoria e Projetos que, desde 2019, já utiliza o equipamento para fazer georreferenciamento de propriedades. "Os  drones já estão sendo utilizados e estão ganhando um grande destaque junto a vários segmentos ligados ao agronegócio, principalmente junto à agricultura de precisão e a monitoramento de lavouras", destaca.

Para Corrêa, aliás, esta é uma transformação que surgiu para se estabelecer. "O principal atrativo neste primeiro momento é o de diminuir o custo de produção, pois com um drone fica mais fácil executar tarefas de monitoramento de lavouras e na pecuária também na observação de rebanhos e manejo com o gado. Quando se aborda diminuir custos, vem a pergunta. Mas como? Daí a resposta é muito simples de entendimento, pois com um drone multi rotor pode se visualizar através de imagens obtidas com estas aeronaves, como, por exemplo, pequenas áreas que apresentem coloração diferente, pois estas poderão estar apresentando algum tipo de ataque de praga e/ou até mesmo a incidência de alguma doença, em sendo assim, o produtor não precisará pulverizar toda a lavoura, mas sim, as áreas que apresentarem tais anomalias pontuais, diminuindo a quantidade de produto, otimizando tempo e diminuindo custos", detalha.

Além de produtores, empresas privadas, inclusive, estão apostando alto em quadricópteros, os famosos drones, que foram inventados em 1977 - época em que eram necessários pelo menos pessoas para controlar apenas um equipamento. "Vários profissionais estão investindo nesta área e oferecem uma gama de serviços das mais variadas", frisa o engenheiro agrônomo, ao mencionar que, "quanto ao crescimento nesta área tecnológica posso afirmar que está sendo muito grande e que a cada dia o mercado oferece novidades propiciando assim um ótimo resultado na economia de escala, pois quanto mais popular se tornar esta ferramenta mais e mais profissionais e empresas irão acessar estas tecnologias, proporcionando assim, um menor custo para quem contrata este tipo de serviço, como também com a popularização e a maior utilização destes equipamentos, farão com que os custos de aquisição destes drones fiquem mais acessíveis e mais baratos".

Os drones são conhecidos por fornecer atividades recreativas ao ar livre ou tirar fotos aéreas de grande angular. Além do transporte de cargas e entrega de pequenas embalagens, eles também ajudam a salvar vidas. Por exemplo, na África, equipes médicas usaram drones para entregar exames e sangue a pessoas em comunidades remotas para testes com resultados satisfatórios. A solução é perceber que a amostra perde sua eficácia se for transportada em uma rodovia ou rio demoraria ao menos 2 dias.

A história dos drones está muito associada ao uso militar, mas sua utilidade ultrapassa o imaginário popular e até mesmo o de técnicos que se envolveram na utilização dos mesmos nas mais diversas áreas.

 

Linha do Tempo

1916 - Durante a Primeira Guerra Mundial, a A. M. Low desenvolveu a primeira aeronave não tripulada. Estes primeiros modelos eram lançados por catapultas ou colocados no ar usando um controle de rádio.

1930 – 1945 - Durante o período entre as duas grandes guerras, o desenvolvimento e os testes com aeronaves não-tripuladas continuaram. E em 1930, a marinha americana começou a fazer experimentos com aeronaves controladas por rádio. Aproximadamente, 15.000 drones foram produzidos para o exército durante a segunda grande guerra.

1980 - Embora os Estados Unidos foi capaz de avançar na fabricação em massa e no fornecimento de drones para militares, os drones ainda eram considerados caros e não muito confiáveis. Foi então que os Estados Unidos criou o Programa Pioneer UAV em 1980 para construir drones mais baratos para operações de frota.

1990 – 2000 - Versões mini drone e micro drone foram introduzidos em 1990, e o famoso Predator, usado no Afeganistão na procura de Osama Bin Laden, foi introduzido em 2000.

 

 

 

 

 

Galeria de Imagens
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

plantao@jornalminuano.online
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

comercial@jornalminuano.online
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

central@jornalminuano.online