MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Campo e Negócios

Criadores de outros países buscam genética nacional do Cavalo Crioulo

Venda para a Bolívia, realizada, recentemente, de forma particular, a um agropecuarista do país chamou a atenção do setor

Em 18/03/2021 às 06:01h

por Redação JM

Criadores de outros países buscam genética nacional do Cavalo Crioulo | Campo e Negócios | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Foto: Fagner Almeida/ABCCC


A busca pela genética brasileira do Cavalo Crioulo de outros mercados pelo mundo vem chamando a atenção de criadores e entusiastas da raça. Nos últimos leilões realizados por criatórios brasileiros, se destacaram as diversas vendas para outros países. A última novidade é a venda para a Bolívia, realizada, recentemente, de forma particular, a um agropecuarista do país.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Onécio Prado Junior, a entidade vem fazendo um trabalho de longa data no fomento pelo Brasil e também no exterior. “Temos visto bons resultados no Brasil, chegando ao Centro Oeste com o trabalho na pecuária, além de esportes como o Laço e as Rédeas. Temos também um trabalho em cima da vaquejada, com cavalos com características mais específicas, mas que o Cavalo Crioulo se adequa”, relata.

Prado Junior também destaca que as vendas para fora do país são reflexo deste trabalho de fomento, com ações como a realizada na Itália com o Freio da Europa, em 2019. “Também temos um trabalho para fora do Brasil, com os Estados Unidos nas rédeas, na Europa, onde tivemos ano retrasado o primeiro Freio de Ouro de lá, abrindo estas portas. Viemos fazendo um grande trabalho nesse sentido e sabemos que nosso cavalo responde bem a estas necessidades seja no esporte seja no trabalho”, observa.

O presidente da ABCCC frisa que esta abertura de mercado para a Bolívia chega também em uma modalidade que a entidade vem apostando, que é o trabalho na pecuária. “O país vem investindo muito na sua pecuária e isto mostra a necessidade do cavalo no trabalho na pecuária. É mais um mercado que procuramos trabalhar e estamos vendo no exterior é o cavalo para trabalho. E esta era uma fatia que queríamos atingir em especial no Centro Oeste na pecuária extensiva com o cavalo para esta função e agora abrindo também esta porta com o cavalo crioulo nessa atividade”, salienta.

O dirigente reforça que a entidade está acompanhando e apoiando os associados e criadores no mercado interno e também no mercado externo. “Vamos ajudar seja na parte burocrática e nos trâmites com as autoridades federais no sentido de facilitar para que consigamos cada vez mais ganhar o mercado fora do Brasil”, complementa o presidente da ABCCC.

Galeria de Imagens
Leia também em Campo e Negócios
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

plantao@jornalminuano.online
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

comercial@jornalminuano.online
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

central@jornalminuano.online