MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Fogo Cruzado

Famurs promove debate sobre situação da Corsan

Em 19/04/2021 às 07:00h

por Redação JM

Famurs promove debate sobre situação da Corsan | Fogo Cruzado | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Foto: Divulgação

A Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) promove, amanhã, a partir das 20h, a segunda edição da live "A Corsan e os municípios gaúchos: Qual o caminho"? O encontro online vai reunir três ex-presidentes da Corsan: Flávio Presser, Luiz Zaffalon e Arnaldo Dutra.

O objetivo da entidade é realizar uma série de encontros virtuais para detalhar qual a proposta do governo do Estado, que até agora não chegou ao conhecimento dos gestores municipais. Por isso, a necessidade de dialogar, com responsabilidade e transparência, sobre um tema que impacta diretamente os 317 municípios do Rio Grande do Sul que possuem contrato com a Corsan, o que inclui Aceguá, Dom Pedrito e Lavras do Sul.

Prefeitos e gestores poderão enviar perguntas para os palestrantes. O evento será transmitido no canal do youtube da Famurs (aqui) e na página do facebook da federação (facebook.com/Famurs). A mediação da live será realizada pelo presidente da Famurs, Maneco Hassen.
No primeiro encontro, realizado na semana passada, o debate teve como convidado o presidente da Corsan, Roberto Barbuti e os deputados estaduais Sérgio Turra, do Prgressistas, Juliana Brizola, do PDT, Giuseppe Riesgo, do Novo, e Edegar Pretto, do PT.

O governado do Estado argumenta que o Marco Regulatório do Saneamento, aprovado pelo Congresso Nacional, prevê metas para serviços de saneamento até 2033, destacando que o descumprimento pode representar a quebra de contratos, o que justificaria a privatização da Corsan.

Para privatizar a Companhia, e repassar as metas para a iniciativa privada, o governo depende da aprovação de uma proposta que altera a constituição, retirando do texto a exigência de realização de plebiscito para a venda. O mesmo foi feito para viabilizar as privatizações da CESA, da CRM e da CEEE, que motiva batalha judicial.

Galeria de Imagens
Leia também em Fogo Cruzado
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

plantao@jornalminuano.online
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

comercial@jornalminuano.online
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

central@jornalminuano.online