MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Segurança

Combate ao tráfico de drogas em Bagé já retirou mais de R$ 5 milhões das mãos dos criminosos em 2021

Em 17/07/2021 às 10:01h
Rochele Barbosa

por Rochele Barbosa

Combate ao tráfico de drogas em Bagé já retirou mais de R$ 5 milhões das mãos dos criminosos em 2021 | Segurança | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Divulgação/Polícia Civil

O combate ao tráfico de drogas começa pela organização da investigação. E este trabalho é feito, em Bagé, pela equipe da Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Somente em 2021, de acordo com titular da Draco, delegado Cristiano Ritta, já foi retirado das mãos das organizações criminosas mais de R$ 5 milhões durante as apreensões de entorpecentes e dinheiro.

“Neste ano, a cocaína foi a droga mais apreendida. Em 2019 e 2020 já notamos que foi crescendo a apreensão dessa droga. Anteriormente era mais comum a apreensão de crack”, explicou.

O trabalho da Draco, segundo o delegado, se concentra no combate à organização do tráfico de drogas, não apenas do crime organizado. “Cada vez mais nos dedicamos em localizar o depósito de drogas e prender os responsáveis, apreender a droga. Com isso, a gente consegue desabastecer os pequenos traficantes numa escala muito maior. Quando eu prendo um pequeno traficante eu tiro um ponto de tráfico de um criminal e quando apreendo um depósito de drogas eu desabasteço 10, 20 'bocas' de vendas de drogas. O efeito de escala é maior. O que não resolve é o tráfico de formiguinha lá da ponta, mas torna mais oneroso para os traficantes em repor as grandes quantidades de drogas, o que impacta no consumo e na organização criminosa. De certa forma evita de estar prendendo um pequeno traficante de entorpecentes, que, às vezes, é um indivíduo sem antecedentes criminais. E concentramos nos grandes traficantes”, complementa.

Ritta ainda acrescenta que a delegacia tem cada vez mais se dedicado em utilizar a inteligência como motor de investigação criminal. “Ampliamos nossas redes de informação, nossas trocas de informações, com a Brigada Militar, Polícia Rodoviária Federal, com delegacias de outras cidades, tivemos, este ano, duas apreensões grandes fora de Bagé, justamente para conseguir coibir o crime e evitar que essas grandes quantidades de drogas cheguem a cidade. O trabalho de inteligência norteia a atividade da delegacia e acho que é isso que dá um resultado satisfatório quando a gente compara as apreensões de Bagé com outras cidades”, salientou o delegado.

Foram apreendidos, neste ano, pela Draco:

Crack – 10.837 quilos – 108.370 porções.

Cocaína – Bagé – 17.557 quilos e outras cidades (Uruguaiana e região metropolitana) – 32.557 quilos – 65.114 porções.

Maconha – 70.149 quilos – 140.298 porções.

Galeria de Imagens
Leia também em Segurança
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br