MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Cidade

O que resta para a conclusão da obra que elevará a coleta de esgoto para 80% em Bagé

Com investimento de mais de R$ 4,1 milhões, empreendimento está sendo executado com recursos do governo federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)

Em 20/07/2021 às 09:00h
Jaqueline Muza

por Jaqueline Muza

O que resta para a conclusão da obra que elevará a coleta de esgoto para 80% em Bagé | Cidade | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Foto: Divulgação

Após várias paradas, a obra da Estação de Bombeamento de Esgoto (Ebe) de Bagé está com 80% da infraestrutura pronta. A direção do Departamento de Água, Arroios e Esgoto de Bagé (Daeb) irá se reunir, na próxima semana, com a empresa executora, para definir as próximas etapas do projeto. Até agora, conforme informações da assessoria de comunicação da autarquia, parte da tubulação e da casa de máquinas já foram realizadas, assim como a rede que leva os resíduos até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Agora, falta o maquinário e as bombas, entre outros detalhes.

Com investimento de mais de R$ 4,1 milhões, a obra está sendo executada com recursos do governo federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com contrapartida do município. Com a finalização, Bagé terá índices superiores a grande parte das cidades brasileiras: 80% de esgoto coletado e quase 60% tratado, alimentando, assim, a ETE. 

A obra, que iniciou em 2007, teve diversas paradas no serviço. De acordo com as informações do Daeb, o projeto completo compõe um sistema de esgotamento sanitário executado em três etapas. A primeira etapa é composta por uma rede interceptora; já a segunda etapa por uma Estação Elevatória de Esgotos, ou EBE, e a terceira etapa é composta por uma ETE.  O empreendimento, após a conclusão, beneficiará diretamente em torno de 30 mil pessoas, que terão os seus esgotos tratados. Além disso, também haverá redução significativa da carga poluidora dos arroios Bagé e Gontan, beneficiando o meio ambiente da região e todas as áreas abrangidas pelas obras. Isto também deve refletir, diretamente, na despoluição da bacia do Rio Negro e, consequentemente, do efluente que adentra o país vizinho, o Uruguai.

Funcionamento

Na primeira etapa, foi instalada a rede interceptora de esgoto margeando os arroios Bagé e Gontan, em uma extensão de rede de 9.370 metros, com a finalidade de coletar os esgotos das redes existentes no centro da cidade, antes que estes cheguem aos arroios. Através dos interceptores, os resíduos coletados deixarão de poluir os arroios e serão conduzidos por gravidade (caimento natural do terreno) até as obras da segunda etapa.

A obra dos interceptores está 100% concluída. Os nove trechos de travessias que faltavam foram concluídos em 2020 e somam uma extensão de mais 273,80 metros aos já executados 9.370m. Na segunda etapa, foi iniciada a Estação de Bombeamento de Esgotos (EBE), com emissário de recalque e extravasor, próximo ao cruzamento (trevo) com a avenida General Mallet (BR 473).

A EBE tem a finalidade de conduzir os esgotos, por bombeamento, através do emissário de recalque, de uma cota mais baixa para uma cota mais elevada, ou seja, até o local onde está localizada a Estação de Tratamento de Esgotos que foi finalizada em 2014, que tem a função de tratar o esgoto e devolvê-lo aos arroios dentro dos índices estabelecidos pelos órgãos ambientais. 

O tratamento previsto é através dos processo de tratamento biológico do tipo lodos ativados com aeração prolongada. Os esgotos sanitários nas etapas do tratamento preliminar passarão por uma grade média, uma caixa de areia e uma calha parshall. As etapas estarão constituídas por um tanque cuja aeração prolongada permitirá a remoção de matéria carbonácea, a nitrificação e a desnitrificação. A separação da massa de sólidos suspensos (fase sólida) da fase líquida ocorrerá no decantador final. Os lodos decantados serão recirculados para o início dos tanques de aeração e seu excesso retirado para sua secagem em leitos de secagem. O lodo desidratado será disposto em aterro sanitário licenciado ou depois de analisado e apto, poderá ser utilizado na agricultura.

Galeria de Imagens
Leia também em Cidade
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br