MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Fogo Cruzado

Análise da privatização da Eletrobras está prevista para maio

Em 30/04/2022 às 12:50h

por Redação JM

Análise da privatização da Eletrobras está prevista para maio | Fogo Cruzado | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Processo que tramita no TCU interessa à CGT Eletrosul, que mantém unidade em Candiota / Foto: Divulgação

O Tribunal de Contas da União (TCU) deve apreciar o processo que trata da privatização da empresa Centrais Elétricas Brasileiras (Eletrobras) no dia 18 de maio. O tema interessa à CGT Eletrosul, que mantém, polo gerador em Candiota.

O relator do processo, ministro Aroldo Cedraz, destacou o potencial das usinas térmicas para as contratações de reserva de capacidade e a necessidade de considerar a possibilidade de ganhos financeiros adicionais. “Atualmente, as usinas térmicas – cujo custo de geração, como se sabe, é bastante elevado, especialmente se comparado com usinas hídricas – têm sido o grande foco de contratações de reserva de capacidade. Isso mostra que essa componente de potência é uma possibilidade de mercado extremamente rentável para as hidrelétricas”, afirma.

Para Cedraz, não se pode desconsiderar a possibilidade de ganhos financeiros, ainda não quantificáveis, por parte da Eletrobras com a comercialização da componente de reserva de capacidade, na forma de potência.

O ministro Vital do Rêgo pediu vistas do processo por 20 dias. Ele considerou insuficientes as informações sobre o impacto da privatização na conta de luz da população. “Quanto os cidadãos brasileiros terão de pagar a mais em suas contas de luz, mensalmente e por anos a fio, por ocasião da venda da Eletrobras? Não se sabe. O poder concedente não calculou. Não houve tempo hábil. ´Não cabia no cronograma, é o que se diz,”, pontua.

Já o ministro Walton Alencar entende que a privatização da Eletrobrás trará benefícios para o País. “Existe uma situação de fato, absolutamente inegável, consistente na incapacidade do estado de realizar investimentos para manter a produção de energia por parte da Eletrobras. A partir disso vejo interesse pujante de que esses investimentos públicos sejam feitos, o que só pode ocorrer a partir da privatização.”

O ministro Jorge Oliveira alertou sobre o impacto direto que a postergação da manifestação do Tribunal pode ter sobre o cronograma e a janela de oportunidades para viabilizar o negócio.

 

Galeria de Imagens
Leia também em Fogo Cruzado
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 99971-9480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br