MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Fogo Cruzado

Câmara aprova lei que obriga estabelecimentos a divulgar disque denúncia de violência contra mulher

Em 02/05/2022 às 08:00h

por Redação JM

Câmara aprova lei que obriga estabelecimentos a divulgar disque denúncia de violência contra mulher | Fogo Cruzado | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Proposta protocolada pelas vereadoras Beatriz Souza e Cáren Castêncio / Foto: Divulgação

O Legislativo bajeense aprovou o projeto de lei que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais, hotéis, motéis, casas noturnas e similares anexarem aviso, em local visível, sobre divulgação do serviço de disque denúncia de violência doméstica contra a mulher. A lei agora aguarda sanção do prefeito Divaldo Lara, do PTB, para entrar me vigor.

O projeto, de iniciativa da Comissão da Mulher Advogada do OAB Subseção Bagé, foi protocolado pelas vereadoras Cáren Castêncio, do PT, e Beatriz Souza, do PSB. "Fico muito feliz em ter dado continuidade e andamento legal no legislativo da nossa cidade para esse debate proposto pela Comissão da Mulher Advogada, da OAB", destaca Cáren.

Beatriz observa que 'a motivação para a criação da proposição veio dos números ainda alarmantes de feminicídio no Rio Grande do Sul e aumento da violência contra as mulheres'. “Com certeza campanhas e ações encorajam as mulheres a denunciar”, avalia.

Pesquisa realizada pela Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar (CEVID), do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), divulgada em janeiro, aponta uma realidade já conhecida, constatando que a maioria dos feminicídios são cometidos por companheiros ou ex-companheiros que não aceitam o fim do relacionamento. O levantamento analisou o perfil de vítimas e agressores envolvidos em 176 processos que tramitam na Vara Especializada de Feminicídios da Comarca de Porto Alegre.

Galeria de Imagens
Leia também em Fogo Cruzado
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 99971-9480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br