MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Cidade

Censo 2022: inicia maior pesquisa do perfil do brasileiro

Em 06/08/2022 às 10:50h
Melissa Louçan

por Melissa Louçan

Censo 2022: inicia maior pesquisa do perfil do brasileiro | Cidade | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Ao todo, 91 recenseadores e 13 ACS atuam diretamente no Censo 2022 em Bagé Foto: Tiago Rolim de Moura

Após dois anos de espera, o Censo Demográfico teve início na última segunda-feira, dia 1º. Durante a semana, já era possível ver os recenseadores e agentes censitários pelos bairros de Bagé, por exemplo, dando início ao maior levantamento de dados do país. 

Realizado a cada 10 anos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Censo deveria ter ocorrido em 2020. Entretanto, em função da pandemia de covid-19 e, posteriormente, cortes de verbas destinados à esse fim, a pesquisa só teve início agora.

Em Bagé, mais de 100 pessoas estão atuando diretamente na aplicação de questionários, sendo 91 recenseadores e 13 agentes censitários, que irão percorrer toda a cidade, levantando dados de todos os moradores através de dois tipos de questionários. O básico conta com 26 perguntas e o ampliado com 77 perguntas.

O questionário básico é aplicado para a grande maioria dos cidadãos, mas 11% da população entrevistada deve receber o questionário ampliado, que traz perguntas mais específicas sobre educação, mercado de trabalho, saúde, migração, deficiências físicas e, até mesmo, sobre a estrutura das residências. O resultado da pesquisa é utilizado para traçar um perfil do brasileiro e das comunidades, de forma a permitir maior embasamento para destinar políticas públicas para a população.

Conforme explica a coordenadora de área do IBGE Bagé, Laiane Castro Lopes, a previsão inicial é de terminar a fase de aplicação dos questionários em 31 de outubro - contudo, a data pode ser alterada, caso haja necessidade. “O Censo só termina quando todos os domicílios de todos os municípios tiverem sido entrevistados. Se tiver que ser prorrogado, será”, destaca.

Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios

Antes mesmo da coleta de dados em campo, que está sendo realizada pelos recenseadores, os Agentes Censitários Supervisores (ACS) já estavam atuantes nas ruas da cidade, coletando informações para a segunda edição da Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios - a primeira foi realizada pouco antes da coleta para o Censo de 2010.

A pesquisa foi realizada de 20 de junho a 12 de julho através da observação da infraestrutura urbana das vias públicas, considerando dez quesitos de urbanização: capacidade da via; pavimentação da via; iluminação pública; bueiro ou boca-de-lobo; ponto de ônibus ou van; sinalização para bicicleta; existência de calçada; obstáculos na calçada; rampa para cadeirante e arborização.

“Antes do recenseador ir à campo, os ACS em junho e julho, já percorreram toda a zona urbana para fazer este levantamento. Quando o resultado do Censo for divulgado, os dados deste levantamento também serão. Através dele será possível saber qual a situação de cada quadra das cidades”, explica Laiane.

"De modo geral, estamos sendo bem recebidos”

Após passarem por treinamento - os ACS em junho e os recenseadores em julho - a coleta de informações à domicílio do Censo 2022 teve início na última segunda-feira, 1º.  Divididos em setores, os recenseadores - acompanhados dos ACS nestes primeiros dias - chegam de casa em casa para aplicar os questionários.

Na manhã de sexta-feira, quem atendia um setor do bairro Malafaia era a recenseadora Wanessa da Rosa Saraiva, 28 anos, e a ACS, Tanane Aveiro, 29 anos. Acadêmica de Engenharia Química, Tanane vê a oportunidade de participar ativamente do Censo como uma experiência de vida. “É muito gratificante poder retratar o país, conhecer quem somos, como vivemos, onde estamos. Acredito que esta é a maior motivação”, destaca.

Já para a pedagoga Wanessa, além de ter a oportunidade de atuar na maior pesquisa de perfil da população do país, a experiência também tem reflexos pessoais. Natural de Santa Maria, chegou a Bagé há cerca de cinco meses. E é através dos trajetos organizados pelo IBGE e das respostas dos entrevistadores que conhece um pouco mais sobre o povo e a cidade que escolheu para viver. “Eu sou nova na cidade, então toda essa questão de conhecer a cidade, as pessoas, foi importante. E trazer todas essas informações, principalmente nesse momento de pós-pandemia, é algo muito necessário”, destaca.

As entrevistas costumam durar cerca de 15 minutos para perguntas do questionário simples, mas podem se prolongar um pouco mais em relação às amostras ampliadas, de acordo com o número de pessoas que vivem na casa.  Os recenseadores têm conseguido manter a média de 15 entrevistas realizadas por dia. “O pessoal está sendo bem receptivo, alguns convidam para entrar e tudo. De modo geral, estamos sendo bem recebidos”, destaca Tanane.

Morador do bairro Malafaia há 40 anos, o aposentado Antenor Vaz Simões, 72 anos, conta que recebeu da equipe um atendimento especial, por ser analfabeto. “Elas me explicaram bem devagar, para eu entender direito o que elas estavam falando, e poder responder”, relata. Simões ressalta que esta foi a primeira vez que participou do Censo e acredita que o resultado poderá ser utilizado para construir um Brasil melhor. “Se for usado para isso mesmo, é uma coisa bem importante, porque aí os governantes vão saber como é o povo mesmo”, aponta.

 

Sobre obrigatoriedade e confidencialidade

A Lei nº 5.534, de 14 de novembro de 1968, que dispõe sobre a obrigatoriedade de prestação de informações estatísticas, assegura o caráter sigiloso das informações prestadas.

O Art. 1º prevê que toda pessoa natural ou jurídica de direito público ou de direito privado que esteja sob a jurisdição da lei brasileira é obrigada a prestar as informações solicitadas pela Fundação IBGE para a execução do Plano Nacional de Estatística (Decreto-Lei no 161, de 13 de fevereiro de 1967, Art. 2º, § 2º).

De acordo com essa lei, as respostas ao questionário do Censo 2022 são absolutamente confidenciais e serão usadas exclusivamente no preparo de cadastros e séries estatísticas. Em nenhuma hipótese as informações prestadas poderão ser vistas por pessoas estranhas ao serviço censitário. 

 

Como reconhecer o recenseador?

O recenseador é o profissional que visita o domicílio, realizando a pesquisa de forma presencial. Todos eles, sem exceção, trabalham uniformizados e utilizam um dispositivo móvel de coleta (DMC), semelhante a um smartphone, na realização da pesquisa.

Exija sempre a apresentação do crachá de identificação. Se julgar necessário, solicite também a apresentação de um documento de identidade. No site https://respondendo.ibge.gov.br, é possível verificar a identidade de todos os entrevistadores do IBGE. Se preferir, ligue para 0800 721 8181.

Galeria de Imagens
Leia também em Cidade
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 99971-9480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br