ANO: 25 | Nº: 6405
17/04/2017 Cidade

Páscoa eleva vendas no comércio de Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Quem deixou as compras de Páscoa para última hora enfrentou fila na véspera da data
Quem deixou as compras de Páscoa para última hora enfrentou fila na véspera da data

Não houve crise ou tempo ruim que afastasse os bajeenses das compras de Páscoa. No final da tarde de sábado, o movimento foi intenso  no  centro da cidade, principalmente dos retardatários, que deixaram para fazer as compras dos chocolates para a data na última hora.

Em frente a uma loja especializada na venda de chocolates, era possível perceber fila para entrar no local. Os clientes aguardaram na chuva, protegidos por capas e guarda-chuvas, sua vez de entrar e escolher o produto que levariam para casa. O interior da loja já dava mostras da grande movimentação do dia, véspera da principal data para os empresários do segmento, que precisaram reforçar a equipe para manter o atendimento rápido e eficaz para os clientes.

A empresária Margarete Lo Iacono Provenzano destaca que a previsão de vendas para este ano era 5% superior ao ano anterior. E essa marca foi batida com facilidade, já que nem mesmo a crise afastou os bajeenses das compras de Páscoa.

“Apostamos em promoções, preços competitivos e na qualidade de nossos produtos, e batemos a meta esperada. A parte de chocolates voltados para o público infantil, por exemplo, está esgotada desde terça-feira”, contou.

Em outra loja do ramo de alimentos e embalagens, a empresária Samira Yusuf disse que  o grande destaque deste ano foram as barras de chocolate para derreter e fazer ovos. “Muita gente decidiu investir em produtos para fazer seus próprios ovos, compraram o chocolate e as embalagens e fizeram seus próprios ovos de colher para vender e presentear”, falou.

Além disso, também teve grande saída as caixas de bombom. E no geral, a avaliação foi positiva. “Conseguimos superar as vendas do ano passado. E o movimento hoje teria sido ainda maior, o que estragou foi a chuva. Mas, mesmo assim, vendemos quase tudo”, disse.

Selmo Dias, gerente de marketing da rede Nicolini, também apontou que o movimento no comércio foi muito bom. Os mais adiantados garantiram caixas de bombom e barras de chocolate, principalmente. “Estávamos preocupados com a saída dos ovos de Páscoa, mas hoje (sábado) nossos estoques estão quase zerados. E o pouco que ainda temos tem saída amanhã (domingo), dia em que também vendemos”, afirmou.

Além dos chocolates, a rede Nicolini estimou aumento de 12% a 15% na venda de peixes para a Sexta-Feira Santa. “Superamos nossas expectativas”, ressaltou.

Mas nem só de chocolate e guloseimas é feita a Páscoa. Outro comércio da cidade, especializado em outro tipo de produtos, registrou grande procura. A gerente de uma loja que trabalha com foco em brinquedos, Cascia Rodrigues de Oliveira, comemorou os bons resultados de vendas para a data. “O movimento foi excelente. Estimamos um crescimento de 10% em relação às vendas do ano passado”, contou.

O carro-chefe das vendas foram as pantufas e chinelos de inverno para crianças. Ela acredita que as promoções e facilidades de pagamento foram diferenciais na hora de escolher como presentear os pequenos. “Apostamos em produtos com valor mais ousado e promoções. Na maior parte do tempo, as vendas têm se mantido mais travadas, mas a Páscoa impulsionou muito o consumo. Mesmo com a crise, as pessoas não deixam passar a data sem presentear as crianças”, afirmou.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...