ANO: 24 | Nº: 6057
07/11/2017 Cidade

Cpers realiza assembleia regional amanhã

Foto: Divulgação

Agenda foi definida durante a última assembleia geral da categoria
Agenda foi definida durante a última assembleia geral da categoria

A greve dos professores da rede estadual completou dois meses no domingo. Na última assembleia geral do Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (Cpers), realizada no dia 31 de outubro, em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre, ficou decidido que serão realizadas reuniões locais nos núcleos regionais, para a elaboração de novas propostas, que devem ser apresentadas ao governo.

Segundo a diretora do 17º Núcleo do Cpers, Delcimar Delabary Vieira, a assembleia da representação regional dos professores acontece amanhã, às 16h, na sede do núcleo, em Bagé, na rua João Telles, 1046.
A principal reivindicação da categoria é o pagamento dos salários do funcionalismo em dia. Desde fevereiro de 2016, os servidores vinham recebendo de forma fatiada e consecutiva. Em outubro deste ano, o governo passou a escalonar os pagamentos, garantindo primeiro os vencimentos daqueles que recebem até R$ 2 mil.
Delcimar explica que na avaliação da assembleia geral, sobre as últimas propostas apresentadas pelo governo, a única que favorece a categoria é o compromisso em retirar a Proposta de Emenda Constitucional 257/2016, que propunha revogar o artigo 35 da Constituição Estadual, acabando com a obrigatoriedade de pagar em dia os salários e o 13º salário dos servidores.
Entre as outras condições apresentadas, o Estado se comprometeu em assumir o compromisso de fazer o pagamento integral da folha no último dia do mês, a partir de dezembro, somente se houver crescimento econômico nos próximos meses, além de conseguir a venda do excedente do controle acionário do Banrisul e a adesão do Rio Grande do Sul ao Regime de Recuperação Fiscal dos Estados, com o governo federal.
A diretora regional conta que a categoria não aceitou a proposta, pois estas condições não são de responsabilidade dos professores. “Não vamos pagar o preço por algo que não temos culpa”, declara. Delcimar informa que nos municípios de Caçapava do Sul, Lavras do Sul, Pinheiro Machado, Bagé, Dom Pedrito, Candiota, Hulha Negra e Aceguá, abrangidos pelo 17º Núcleo do Cpers, a paralisação é parcial e atualmente atinge cerca de 25% da categoria.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...