ANO: 25 | Nº: 6278
23/02/2018 Cidade

Região já acumula mais de R$ 94 milhões em prejuízos com estiagem

Foto: Antônio Rocha

Principais perdas atingem segmentos da área rural
Principais perdas atingem segmentos da área rural

A Defesa Civil regional já encaminhou, para Porto Alegre, os dados relativos às perdas dos quatro municípios da região atingidos pela estiagem. As informações, coletadas junto à Emater e Irga, são importantes, no caso de Bagé, para obtenção da homologação do decreto da situação de emergência, assinado no primeiro dia de fevereiro, pelo prefeito, Divaldo Lara. O levantamento destaca a quebra em lavouras, redução de peso de animais e diminuição produção de leite. 

Gerente da Emater/Ascar, Eloi Pozzer conta que os dados encaminhados ratificam a seriedade da situação na região da Campanha. Até o momento de fechamento de dados para análise, foi registrado um prejuízo de R$ 94.191.861 milhões de prejuízos na região que abrange Aceguá, Bagé, Candiota e Hulha Negra.
Em termos gerais, o segmento da agricultura mais afetado foi o setor leiteiro, que teve perda de 40%; em seguida a olericultura, apicultura e sorgo, que perderam 30% de sua produção; mesmo volume de prejuízo registrado para a soja; já o milho contou com produtividade 20% menor; bovino de corte perdeu 20% e o arroz registrou perda de 10% com a estiagem.
Somente para Bagé, até a data do envio do relatório, a perda já ultrapassava R$ 51,3 milhões. Aceguá vem em seguida, com R$ 21,7 milhões. Já em Candiota, o dano constatado supera o montante de R$ 12,4 milhões, seguido por Hulha Negra, que teve prejuízo de R$ 8,6 milhões. "Esses números tendem a aumentar se a estiagem persistir. Os dados registram as perdas totais até a primeira quinzena deste mês", explica Pozzer.

Representante da Defesa Civil de Bagé, o tenente Ronaldo Rosa explica que a documentação com os dados relativos às perdas de produção como consequência da estiagem foram encaminhados, no último dia 16, e estão sob análise da Defesa Civil gaúcha. Assim que for avaliado e homologado o decreto, a documentação segue para Brasília, onde deve ser reconhecida pela esfera federal.
Com o decreto homologado e reconhecido, o chefe do executivo de Bagé e os produtores rurais contarão com uma flexibilidade maior para acessar linhas de crédito para amenizar os efeitos da estiagem. Rosa explica que, inclusive, os cidadãos das cidades em situação de emergência têm maior facilidade para acessar os valores do Fundo de Garantia. "Desde que o valor seja utilizado em alguma obra relacionada à situação de emergência", comenta.
A expectativa é que a aprovação aconteça ainda hoje, ou nos primeiros dias da próxima semana.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...