ANO: 25 | Nº: 6383
21/07/2018 Cidade

Luiz Coronel fala de sua infância em Bagé e conta causos durante coletiva

Foto: Arquivo JM

Poeta concedeu coletiva na casa que passou a infância
Poeta concedeu coletiva na casa que passou a infância
O advogado, filósofo, professor, publicitário e poeta bajeense Luiz Coronel, que completou 80 anos no dia 16 de julho, participou de uma coletiva, na tarde de sexta-feira, na casa da família, onde foi criado e permaneceu dos quatro aos 18 anos. Ele lembrou dos tios que o criaram e que era chamado na infância de "gurizinho do Djalma" (tio) e da "dona Amelinha do posto", quando ia para Piratini a passeio.
Radicado em Porto Alegre, o poeta que receberá homenagens de hoje até dezembro, em Bagé, falou que cada regresso à Rainha da Fronteira é de encantamento e nostalgia. Ele salientou que tem muito amor e leva o nome da cidade para cada lugar que vai. “Carrego Bagé comigo com muita honra. Essa terra me pertence”, afirmou.
O bajeense relatou que desde a infância sabia que seria escritor e frisou que é necessário ser intenso para aprender sua própria arte. “É um exercício permanente”, relatou. Para o publicitário, a cidade está acesa na manutenção da memória e com isso preserva sua identidade.
Com uma memória privilegiada, o escritor mencionou várias obras suas e encantou com os causos que mencionou durante a coletiva, lembrando de fatos muito pitorescos que viveu no município. As atividades alusivas a seu aniversário começam hoje, pela manhã, com a inauguração de Espaço Cultural que leva seu nome nas dependências do Arquivo Público Municipal. O local foi ambientado com toda a obra do artista bajeense e conta com mais de 32 peças doadas pelo escritor. Na ocasião, será descerrada a placa com o nome do poeta.

Programação
A programação alusiva ao aniversário segue às 18h, quando será realizada uma missa em ação de graças, na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, com a presença do Coral Auxiliadora e do músico Tiago Cesarino.
Para formatar as homenagens ao poeta, foi formada uma comissão por representantes de várias instituições. Estão previstos eventos culturais e literários. Entre eles, está a realização de um documentário, concertos, recitais e saraus de poesia, criação de poemas inéditos, lançamento literário e sessão de homenagens em festivais de cinema e música, além da instalação de poemas em espaço público.
Entre as entidades envolvidas na programação está a Universidade da Região da Campanha (Urcamp), através dos cursos de Jornalismo e Pedagogia, Jornal MINUANO, Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), Centro Histórico Vila de Santa Thereza, através da Associação dos Amigos e Ponto de Cultura "Pampa Sem Fronteiras", e Festival Internacional de Cinema da Fronteira. Também integram a iniciativa, a Oficina dos Poetas do Cultura Sul e Ecoarte, LEB Livraria e Cafeteria, Arquivo Público Municipal, Prefeitura de Bagé, Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, Coral Auxiliadora, Festival Canto Sem Fronteira, Mitra Diocesana, Sesc Bagé e Fundação Bidart.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...