ANO: 24 | Nº: 6186
28/08/2018 Cidade

Beneficiários do KM 21 são inseridos no mercado de trabalho

Foto: Rodrigo Sarasol

Jovens integravam curso de pintura automotiva e assemelhados
Jovens integravam curso de pintura automotiva e assemelhados
A Secretaria de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso (Smasi), através da coordenação de Economia Solidária atigniu, ontem, um dos principais objetivos do projeto do KM 21, que é, além de qualificar mão de obra através das oficinas profissionalizantes, oferecer oportunidades aos cidadãos em estado de vulnerabilidade que desejam ingressar no mercado de trabalho.

A partir desta semana, dois ex-alunos do último semestre da turma do curso de "Pintura automotiva e assemelhados" do Km 21, que engloba, além de automóveis, portas, portões, placas de trânsito, refrigeradores, máquinas de lavar e fogões, passarão a ser sujeitos do próprio destino e não mais meros beneficiários de políticas de assistência social. Segundo o orientador técnico da oficina, Bleno Vidart Martin, a oficina já qualificou 41 cidadãos e 31 destes obtiveram renda durante o curso, com a venda das produções, consertos de carros e, ainda, o total de dez pessoas foram encaminhadas ao mercado de trabalho. "Essa é a nossa maior felicidade, mudar para melhor a vida das pessoas", disse Bleno.

A coordenadora do projeto, Eliana Parera, afirma que, junto à sua equipe de trabalho, pratica uma busca de vagas pela cidade e, assim que surgem as oportunidades, são destinadas como forma de incentivo, aos alunos que se destacam, demonstrando comprometimento e assiduidade nas oficinas. Ela também conta que o trabalho inicia desde a inscrição. "Os alunos aparecem buscando uma oportunidade. Sou psicóloga, analiso o perfil e fizemos um acompanhamento de apoio, pois na maioria das vezes as pessoas nos procuram completamente desacreditadas. Há uma troca, uma entrega", finaliza a coordenadora.

Desta vez, são dois beneficiários que estão tendo a oportunidade. O primeiro é Gustavo Lauer Barth, de 18 anos, que, após as 120 horas/aula, foi encaminhado para a revenda de automóveis Tterrasul. "Esse é o meu primeiro dia de trabalho, e é muito importante para mim, estou feliz e nervoso", disse.

O segundo foi Luís Fernando Soares, de 23 anos. Ele está trabalhando na empresa de ônibus Stadtbus, onde foi recebido pelos funcionários e fez questão de começar a trabalhar na mesma hora. "O meu coração está acelerado, foi uma grande luta, mas agora é um novo ciclo. Nunca imaginei que esse momento chegaria tão rápido", declara, emocionado.

O titular da Smasi, Carlos Adriano Carneiro (Esquerda), destaca que sente-se muito feliz pelo trabalho realizado no KM 21. "Estamos orientando e formando os alunos com mão de obra qualificada. Esses alunos já saíram empregados, as portas de um belo futuro profissional foram abertas. Estou muito orgulhoso".

Para integrar a fila de espera para os cursos do projeto Economia Solidária, o interessado deve entrar em contato com a Smasi, através dos telefones 3247-5290, 3241-6005 e 3241-0055, ou diretamente na sede da secretaria, localizada na avenida São Judas, 796.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...