ANO: 26 | Nº: 6576
25/09/2018 Cidade

Iniciativas buscam popularização do artesanato regional

Foto: Antônio Rocha

Lã é principal matéria-prima dos produtos na região
Lã é principal matéria-prima dos produtos na região
O Rio Grande do Sul conta, atualmente, com pelo menos 52 mil artesãos em atividade, segundo dados da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS). Em Bagé, são 550 profissionais atuando na confecção de peças feitas a partir de diversos tipos de matérias-primas, como lã, madeira, couro e osso. Nesta semana, a Rainha da Fronteira sedia dois eventos de fomento a esta profissão: a segunda edição do Seminário “Artesão em Foco”, realizada ontem, e a primeira Feira Estadual da Rainha da Fronteira, que começa amanhã e se estende até o domingo.
De acordo com a coordenadora do Programa Gaúcho do Artesanato (PGA) da FGTAS, Marlene Garcia, os eventos são realizados com o objetivo de divulgar os trabalhos e fomentar o artesanato regional. Marlene destaca que mais de 80% dos profissionais na região da Campanha, com Carteira Nacional de Artesão, são mulheres que trabalham com peças feitas à base de lã. Isto, segundo a coordenadora, se deve ao fato da campanha gaúcha ser uma grande produtora da matéria-prima, além de já ter sido considerada um dos maiores polos de artesanato com lã.
No entanto, Marlene destaca que, com o passar dos anos, esta atividade tem perdido sua popularidade, principalmente com o público mais jovem, devido à falta de divulgação do artesanato regional. Desta forma, o PGA e outros órgãos e entidades iniciaram uma série de iniciativas que buscam fomentar o artesanato e a profissionalização dos artesãos locais.
Conforme o coordenador da agência FGTAS em Bagé, Marcelo Nalério, a cada ano, são emitidas de 50 a 60 novas carteiras de artesão no município, além de serem renovadas, em média, 200 documentações. Estas carteiras, além de servirem como documento de identificação profissional, dão aos artesãos os direitos de contribuírem com o INSS e receberem os benefícios da Previdência Social.

Eventos
Na tarde de ontem, dezenas de artesãos compareceram ao Palacete Pedro Osório, onde ocorreu a segunda edição do seminário “Artesão em Foco”. A atividade, que reuniu autoridades municipais e estaduais, foi realizada pelo PGA, em parceria com a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI).
Já, a partir de amanhã, inicia, em Bagé, a primeira Feira Estadual de Artesanato do Pampa. Até o domingo, 30 de setembro, trabalhos de aproximadamente 100 artesãos da região do Alto Camaquã e de todo o Rio Grande do Sul serão expostos e postos a venda no Centro Cultural Auxiliadora. O evento é realizado pela FGTAS em parceria com a SDI, com apoio da Câmara Municipal de Vereadores, Embrapa, Emater, Associação para o Desenvolvimento Sustentável do Alto Camaquã (ADAC), Associação para Grandeza e União de Palmas (Agrupa) e Associação Pampa Gaúcho de Turismo (Apatur).
Segundo o titular da SDI, Bayard Paschoa Pereira, o governo municipal tem investido na realização de eventos que divulguem a qualidade das produções locais, ditos pelo secretário, como produtos únicos e próprios do Bioma Pampa. Entre as iniciativas da pasta, Bayard destaca a Feira Rainha da Fronteira do Artesanato, a Femãe, a Fenatal e a Mostra Artesão em Foco. “São iniciativas que nos orgulham por darem espaço a estes trabalhos e potencializarem o artesanato local, que tem condições de ser um dos melhores do país e até do mundo”, declara.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...