ANO: 25 | Nº: 6357
29/09/2018 Cidade

Uruguai promulga lei que permite fornecimento de água para a Serrilhada

Foto: Arquivo JM

Rede local deve ser executada pelo Daeb
Rede local deve ser executada pelo Daeb
As tratativas para o fornecimento de água potável para a Serrilhada, pelo governos uruguaio e brasileiro, deram resultados. O Senado do país vizinho aprovou, no início de agosto, a Lei 19.658 que permite que a "Cerrillada", do lado uruguaio, libere a água para a Serrilhada, no lado brasileiro. O próximo passo será a construção de uma rede que deve ser realizada pelo Departamento de Água, Esgotos e Arroios de Bagé (Daeb).

A situação foi abordada pelo Jornal MINUANO, em outubro de 2014, em reportagem que serviu de referência para o maior jornal uruguaio, El País, abordar o mesmo tema. Após a publicação, várias reuniões foram realizadas pelos dois governos e duas propostas foram encaminhadas. Uma delas era a liberação, pelo governo uruguaio, que foi concedida através da Lei; outra foi a assinatura de um convênio com a Prefeitura de Bagé e Estado para a perfuração de poços artesianos.

Há 23 anos, municípios da região disponibilizam luz para a localidade fronteiriça da Cerrillada, na parte uruguaia. Desde janeiro de 2017, o governo de Bagé, com Dom Pedrito e Rivera, tenta aumentar a parceria, solicitando que o Uruguai disponibilize água para o lado brasileiro da localidade, que conta com dezenas de famílias.
As tratativas foram retomadas em janeiro do ano passado, já que o governo anterior iniciou os trâmites, porém sem avanços concretos. O segundo passo ocorreu no dia 2 de maio do mesmo ano, na própria localidade, quando o vice-prefeito de Bagé, hoje prefeito em exercício, Manoel Machado; o prefeito de Dom Pedrito, Mário Augusto de Freire Gonçalves; o intendente de Rivera, Marne Osório Lima; e o deputado federal uruguaio, Tabaré Vieira Duarte, assinaram uma carta de intenção, que garantiu que ambos os lados estavam dispostos em realizar os trâmites legais para que o país vizinho pudesse ceder água às casas do lado brasileiro. Em agosto de 2017, mais duas agendas foram cumpridas pelo lado bajeense.

Prazo

Neste ano, em abril, foi realizada uma reunião, quando a documentação foi encaminhada. De acordo com o secretário-Executivo do Núcleo de Fronteira do Estado do Rio Grande do Sul, José dos Santos Rosa de Oliveira, autoridades, representantes de instituições e a comunidade em geral participaram do encontro que encaminhou a situação para os governos dos dois países. "Em cinco meses, fechamos nossa meta. Ficamos felizes com a notícia", ressalta.

Oliveira enfatiza que, no lado brasileiro da Serrilhada, vivem 24 famílias, totalizando 64 pessoas. No local, existe uma escola, que não está em funcionamento, e duas propriedades rurais. Na Cerrillada, lado uruguaio, vivem 113 famílias, totalizando 281 pessoas. A localidade conta com uma escola, duas igrejas, um posto da polícia e um posto de saúde.

Obra
O prefeito em exercício de Bagé, Manoel Machado, salientou à reportagem do MINUANO, que o governo municipal se empenhou muito para realizar todos os trâmites necessários. Ele acredita que, até novembro, o município consiga realizar a obra e realizar a rede de abastecimento. Machado comenta que foi implantada uma nova rede de energia elétrica na Serrilhada e o município deve colocar as lâmpadas. "Podemos fazer um mutirão e as equipes podem trabalhar juntas no local. A implantação da rede de água é uma obra simples", disse.

A notícia da promulgação da Lei foi publicada pelo Consulado Uruguaio. O cônsul Mario Liori Sânches já havia adiantado que não existiria nenhum inconveniente político para a liberação. O cônsul não pôde conceder entrevista sobre o tema porque estava em viagem.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...