ANO: 25 | Nº: 6231
21/12/2018 Cidade

Consórcio Chimarrão irá construir linha de transmissão entre Candiota e Guaíba

Foto: Marcello Cassal Jr/ Agencia Brasil

Empreendimento terá mais de mil quilômetros de extensão
Empreendimento terá mais de mil quilômetros de extensão
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizou, ontem, o Leilão de Transmissão nº 4/2018 para a construção, operação e manutenção de 7.152 quilômetros de linhas de transmissão e subestações com capacidade de transformação de 14.819 mega-volt-amperes (MVA). O Consórcio Chimarrão, que integra as empresas CYMI Construções e Participações S.A. e Brasil Energia Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, arrematou o lote 10, que contempla o município de Candiota. A obra será realizada com oferta de R$ 219,5 milhões, deságio de 42,38% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) inicial estabelecida pela Aneel de R$ 380,9 milhões.
O investimento irá contemplar os municípios de Candiota, Pinheiro Machado, Piratini, Canguçu, Amaral Ferrador, Dom Feliciano, São Jerônimo, Camaquã, Cerro Grande do Sul, Barão do Triunfo, Sertão Santana, Mariana Pimentel, Guaíba, Eldorado do Sul, Dois Irmãos, Ivoti, Lindolfo Collor, Capela de Santana, Montenegro, Portão, São Sebastião do Caí, Araricá, Gravataí, Nova Hartz, Novo Hamburgo, Sapiranga, Charqueadas, Triunfo, Nova Santa Rita, Rio Grande, Capão do Leão, Pelotas, Turuçu, São Lourenço do Sul, Cristal, Camaquã, Sentinela do Sul, Barão do Triunfo, Arroio dos Ratos, Santa Vitória do Palmar, Rio Grande, Capão do Leão, Arroio Grande, Guaíba e Porto Alegre.
No caso de Candiota, a empreitada prevista consiste numa linha ligando o município até Guaíba. As obras têm prazo de 48 meses para conclusão, a partir do seu início, e a expectativa de geração de 6.088 empregos diretos. Serão construídos 1.193 quilômetros de linha, com potência de 2,688 MVA.

Lotes

O certame foi definido, pela Aneel, como o maior leilão de infraestrutura realizado nos últimos quatro anos. Nele, foram ofertados projetos de instalações de transmissão da Eletrosul, que tiveram a concessão revogada pelo Ministério de Minas e Energia no dia 1º de novembro. Em outubro deste ano, o governo do Estado publicou uma nota oficial informando a desistência da empresa chinesa Shanghai Electric, que iria realizar a obra, já que a mesma não apresentou garantia para assinar o Termo Aditivo ao Contrato de Concessão em que se comprometia a realizar investimento de R$ 4 bilhões no Rio Grande do Sul.
Em novembro de 2017, um acordo foi firmado pela Eletrobras, Eletrosul, a empresa chinesa Shanghai Electric e o Clai Fund (Fundo Chinês para Investimento na América Latina) para a viabilização de projetos de expansão do fornecimento de energia elétrica no Estado.

Certame
O certame dividido em 16 lotes tem investimento previsto na ordem de R$ 13,2 bilhões e geração de 28 mil empregos diretos. As instalações de transmissão deverão entrar em operação comercial no prazo de 48 a 60 meses a partir da assinatura dos respectivos contratos de concessão.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...